Resenha: Tudo o que nunca contei – Celeste Ng

Em 08.06.2017   Categoria: Resenhas

tudo o que nunca contei “Lydia está morta. Mas eles ainda não sabem disso. Dia 3 de maio de 1977, seis e meia da manhã, ninguém sabe nada a não ser por este fato inofensivo: Lydia está atrasada para o café da manhã.”

É com esta frase que iniciamos a leitura de Tudo o que nunca contei e conhecemos a família Lee. Estamos em Ohio, Estados Unidos, em uma época de grande segregação racial: 1977. A família Lee é composta por Marilyn (americana), James (americano, porém filho de pais chineses), Nath (o filho mais velho), Lydia (a filha favorita) e Hannah (a filha-invisível).

Como você provavelmente já sabe, nesta época a sociedade era bem machista e racista. As mulheres eram criadas com a intenção de serem boas esposas e mães, somente os homens eram vistos com bons olhos no trabalho e famílias com misturas de “raças” sofriam um grande preconceito. Apesar disso, Marilyn sempre quis desviar do futuro que a mãe queria para ela: nada de encontrar um marido rico, ficar em casa cozinhando ovos de todos os jeitos ou ser uma boa mãe para seus quinhentos filhos. Ela queria ser médica e iria estudar e ralar para isso.

Bem, ao menos era o que ela pensava, até conhecer James, seu professor. A paixão foi tão instantânea que Marilyn acabou engravidando e casando-se com James – enfrentando todos os preconceitos e rejeições, inclusive de sua mãe. Precisando cuidar de uma criança, Marilyn acabou deixando os estudos de lado e passou a ser “dona de casa”. Logo em seguida veio Lydia e, com o falecimento da mãe de Marilyn, ela voltou a pensar em muitas coisas do passado que ela acabou deixando para trás para conviver com a sua família.

A narrativa não segue uma linha do tempo, em uma página estamos vendo o desenrolar do mistério da morte de Lydia e na seguinte somos jogados de volta ao passado para entender como tudo começou – o que ajuda a desvendar os segredos e sentimentos de Lydia, mesmo quando ela ainda não era nem nascida. Acontecimentos do passado são relatados por todos os integrantes da família, de James a Hannah, e vamos montando um quebra-cabeça para conhecer a história de Lydia, que não teve a chance de se apresentar para o leitor.

Fica muito clara a obsessão de James e, principalmente, de Marilyn sobre a Lydia. A mãe quer que a filha seja o que ela não conseguiu ser, que seja diferente dos padrões, inteligente, tenha uma carreira e seja a melhor de todos. James quer que ela seja popular, para provar que não importa se é americano puro, sino-americano ou o que quer que seja – ele sabe que ela é uma menina doce e sua ascendência não será um empecilho para todos gostarem dela.

Mas livros de presente, notas máximas nas provas e telefonemas falsos dos amigos não fazem com que Lydia se sinta feliz e enturmada. Jack, colega de classe e vizinho, até tenta entrar na vida dela, mas precisa ter muito cuidado ao se aproximar com Nath por perto. Jack é um caso de amor e ódio, em momentos você o admira e em outros tem vontade de dar uns bons tapas, mas ele tem um papel muito importante na história toda. Aliás, será que ele poderia estar envolvido com o incidente da morte de Lydia?

O lado “policial” da trama não é muito explorado, uma vez que a intenção aqui é mostrar realmente o lado familiar – então não espere nenhum thriller ou mistério policial, porque não é nada disso. O livro é totalmente voltado para o drama familiar, a influência de escolhas e o quanto as aparências nem sempre são o que parece.

Tudo o que nunca contei – Everything I never told you
Páginas: 304 Editora: Intrínseca Nota: ★★★★☆

Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o site Livros em Série.


‘Extraordinário”: divulgado o trailer oficial do filme

Em 24.05.2017   Categoria: Filmes

PARA TUDO!

Desde que vi a primeira notícia sobre uma possível adaptação cinematográfica de um dos meus livros favoritos, vulgo Extraordinário, eu já surtei. Quando vi quem seria o protagonista, surtei ainda mais. Aí divulgaram os atores que fariam os pais do protagonista e eu até chorei. Hoje de manhã entro no Facebook e me deparo com o que? O trailer oficial!!!!!!!!!!111

Eu tinha/tenho muito medo dessa adaptação, mas sinceramente, pelo trailer dá para ter uma noçãozinha de que será fiel ao livro e isso aqueceu meu coração <3 Ok, o Auggie não é exatamente do jeito que eu imaginava - mas acho que nem teria como, pois cada um imagina de uma forma - mas só de ser o sensacional Jacob Tremblay, tenho certeza que ele fará jus à personagem <3 Bem, além do fofíssimo Jacob, teremos Julia Roberts e Owen Wilson, interpretando os pais de August. OWEN WILSON, MEUS AMORES! MEU ATOR FAVORITO! Entenderam o surto? HAHAHA Além deles, Sonia Braga brasileiríssima fará a avó materna de Auggie (já que no livro ela realmente é brasileira). O longa será dirigido por Stephen Chbosky, de “As Vantagens de Ser Invisível”, em que ele escreveu o livro E foi o diretor – e, se ele adaptar Extraordinário na mesma linha que adaptou “As Vantagens”, já tem meu voto para dirigir mais filmes de adaptação!

Dá só uma olhada no pôster maravilhoso que foi divulgado essa semana:

poster Extraordinário

Para quem não conhece a história, dei uma resumidinha:

August Tremblay (Auggie) nasceu com desordem craniofacial congênita e começará a frequentar a escola pela primeira vez aos 10 anos. Enquanto tudo o que ele quer é ser tratado como uma criança normal, terá de enfrentar a crueldade de seus colegas, enquanto seus pais temem pela estabilidade emocional do filho.
Mas ele tem um coração de ouro e poderá conquistar muitas pessoas, mesmo que seu exterior assuste a alguns. Conhecemos vários lados das pessoas e conseguimos nos identificar com diversas delas, sendo bem difícil julgar suas atitudes. Auggie é um garoto extremamente fofo e tem muitos preceitos interessantes.

Para ler minha resenha do livro, acesse aqui!

Bem, assista ao trailer oficial que foi divulgado hoje e se emocionem comigo:

Lá nos Estados Unidos o filme chegará aos cinemas em 17 de novembro, mas para o Brasil a previsão é 23 de novembro. Já estou ansiosíssima e querendo assistir já na pré-estreia! Me levem!!! HAHA

Quem aí está ansioso e/ou gosta muito livro? Me conte :)


Resenha: Excesso de luz – Christian McKay Heidicker

Em 18.05.2017   Categoria: Resenhas

excesso-de-luz No dia 24 de abril tivemos o lançamento de “Bem-vindo à vida real”, livro de Christian McKay Heidicker, publicado no Brasil pela editora Intrínseca. Como presente aos leitores, a editora disponibilizou gratuitamente um conto do mesmo autor em formato digital para conhecermos a escrita dele. Com apenas 40 páginas, Excesso de luz traz uma leitura agradável e rápida, no estilo “passatempo”.

Apesar da menção de semelhanças com Stranger Things, sinceramente não encontrei nenhum “toque” do seriado nesta leitura. Nas poucas páginas do livro conhecemos três crianças: Jo, Liza e Isaac, que moram em Weeping Fig Way, na mesma rua dos C. A casa dos C. tem passado por algumas mudanças nos últimos tempos e aparentemente apenas as crianças têm notado esse fato. A lateral da casa estava coberta com plástico brilhante, todos os adornos da construção haviam sido removidos e até os arbustos e árvores haviam sido cortados.

Ao comentarem com seus pais, os três foram ignorados e resolveram por conta própria descobrir o que estava acontecendo por ali. Ao observarem a casa através da cerca, veem uma estranha criatura com roupas esquisitas saindo da casa e deixando a porta aberta: é a oportunidade perfeita para entrar e bisbilhotar o que acontece naquele estranho lar.

A casa possuía de tudo. As mais diversas bugigangas, trazendo culturas de todos os lugares do mundo. Ficaram maravilhados pelo que estavam vendo, até que a tal criatura estranha que havia saído da casa retornou: era apenas uma senhora, a sra. C. Com toda a curiosidade que eles tinham, começaram a disparar perguntas para a senhora para entender o que se passava por ali, porque ninguém nunca a via, o porquê de ter tantas coisas espalhadas pela casa e tudo mais.

É durante esta conversa que entendemos as mudanças que estavam acontecendo na casa e que todos podiam ver pelo lado de fora. As crianças acabam ficando bem intrigadas e vão tentar intervir no que está prestes a acontecer… Mas é óbvio que eu não vou contar, né?

Como disse, o livro tem apenas 40 páginas e é um passatempo bem agradável. Em apenas “uma sentada” você consegue ler a história toda e participar dessa pequena aventura com as crianças. Ele deixa um gostinho de “quero mais” e facilmente poderia ter uma continuação.

Ah, a história deste conto não tem relação nenhuma com o livro “Bem-vindo à vida real”, ok? É apenas um presente/ação da editora para conhecermos o escritor – que, aliás, possui uma ótima escrita, sempre deixando aquela vontade de virar a página para devorarmos a história toda.

#DICA: Você pode encontrar os links para baixar gratuitamente o ebook deste conto na página da Intrínseca.

Excesso de luz – An Excess of Light
Páginas: 40 Editora: Intrínseca Nota: ★★★★☆


Página 1 de 28412345... 284Próximo