Resenha: Só Tenho Olhos Para Você – Bella Andre

Em 19.09.2016   Categoria: Resenhas

só tenho olhos para vocêSó Tenho Olhos Para Você é o quarto livro da série dos irmãos Sullivan. Neste, conhecemos a história de uma das gêmeas, a Sophie (Boazinha), que trabalha como bibliotecária e que é apaixonada por Jake McCann desde os cinco anos de idade.

Durante o casamento de Chase e Chloe (casal que conhecemos no primeiro livro da série, Um Olhar de Amor), Sophie tem apenas uma coisa em mente: mostrar para Jake que ela não é apenas aquela Boazinha e que ela pode muito bem ser alguém interessante para ele. Ela faz de tudo, então para conquistá-lo e para poder se declarar, mostrando de uma vez por todas que o que ela sente por ele é real.

Achei super interessante o que a autora criou para aproximar Jake e Sophie, já que ele, ao perceber o que fez com a irmã de seus melhores amigos, tenta ficar afastado para não cair novamente em tentação e não ter que passar por uma situação chata com a família Sullivan.

A situação é bem improvável. A sinopse não conta, o texto de orelha também não e a capa não me deixou ter ideia do que poderia acontecer, por isso considero spoiler falar para vocês o tema que o livro vai abordar, mas posso dizer uma coisa: não poderia ter algo melhor para aproximar esses dois personagens. Ainda mais depois do que Jake inventa para tentar reverter a situação e trazer Sophie mais para perto dele, mesmo tendo fugido de seu próprio quarto durante a noite enquanto ela dormia, serena, pensando que o teria para sempre ao seu lado.

Com o fim deste livro, posso dizer, com toda certeza, que não sei mais quem é o meu preferido, se Gabe (o bombeiro de Não Posso me Apaixonar) ou Jake. Para quem gosta de romances, não apenas este, mas toda a série da Bella Andre é uma ótima pedida para leitura. Recomendo.


TAG: Louca dos gatos

Em 09.09.2016   Categoria: Memes

Faz um tempinho que não respondo tags no blog e me deparei com essa no blog da xará – Chuva de Jujubas e resolvi responder também porque, né, gatos <3

Quantos gatos você já teve?

Mais ou menos mil rs Se for contar com as crias que todas as gatas-safadinhas deram… Mas dos que tiveram nome (que aí dá pra contar quantos “cuidei” rs): Ana Beatriz, Jean Pierre, Sem-nome (substituta da Ana Beatriz), Saori, Léo, Melanie, Marie e Elvis (2 últimos são os atuais).

ana-beatriz

Ana Beatriz

Sempre teve gatos? Quantos gatos tem agora?

Sim, desde que estava na barriga da minha mãe – a famosa Ana Beatriz. Ela acabou fugindo, minha mãe ficou doente e uma vizinha encontrou uma gata parecidíssima. Não era ela, mas ficamos mesmo assim. A dita cuja estava prenha, teve mil filhotes, ficamos com uma (que inclusive nasceu na minha cama!!!), que teve mais um monte de gatinhos e etc. Quando mudamos para o apartamento ficamos um tempinho sozinhas, mas logo minha mãe comprou a Marie, uma persa linda, porém porca demais rs.
Hoje temos 2, a Marie nada-lady e o Elvis vira-lata que acha que é gente ou cachorro/pantera/morcego.

leo
Léo

Gostaria de ter mais?

Sempre, mas não dá, não.

marie
Marie e meus livros: não dá pra ter nem mais gatos nem mais livros…

O que determina o número de gatos? Dinheiro, espaço, tempo, pessoas com quem divide a casa?

Minha permanência da “própria” casa… O Elvis já é o “extra” que quase causou minha expulsão kkkk brincadeira.

elvis-hd
Elvis

Já resgatou gatos da rua? Quantos?

Não é exatamente da rua, mas a gatinha que substituiu a Ana Beatriz foi encontrada na rua e ficamos com ela e eu adotei o Elvis (de um pet shop, mas adotei, então não sei se conta rs).

elvis-gravataborboleta
Elvis de gravata borboleta <3

Já passou apuros por ser a louca dos gatos?

Acho que apuro não; mas toda vez que o Léo (filhote da Saori) saía de casa, eu ficava angustiada até ele voltar (cada hora com uma parte do corpo machucada rs). Tenho aqueles apuros repentinos de quando o Elvis resolve escalar na rede de proteção da janela e outras coisas bizarras (tipo praticamente abrir a geladeira…).

elvis-geladeira elvis-morcego

Ajude as amigas gateiras: Marca de ração seca, marca de ração molhada, marca de areia, brinquedo favorito…

Estamos sempre variando a ração… A Marie é um pouco fresca e não se adaptou a algumas, já o Elvis come até pedra (e bebe qualquer coisa também), então não faz diferença. Atualmente estamos usando a Golden da Premier para gatos adultos.

hpnotiq
Elvis alcoólatra

Areia usamos a Pipicat mesmo, é a que tem menos cheiro e não é nem tão fina, nem tão grossa. Ultimamente temos utilizado junto com a areia o aditivo que reduz um pouco o odor, também da Pipicat.

O brinquedo favorito do Elvis é meia ou qualquer bolinha de papel (insetos, milho, borracha, caneta e etc também servem), não adianta ficar comprando nada porque ou ele destrói ou brinca só uma vez. Nós compramos uma “casinha” de 2 andares para eles que tem arranhador e umas coisinhas penduradas e os dois adoram.

casinha
Casinha de 2 andares

Miga, você se imagina virando a velha dos gatos?

Me imagino tendo gatos quando ficar mais velha, mas não só gatos. Imagino minha casa um zoológico, mas sempre me imaginei com mais cachorros do que gatos, desde pequena. Mas nunca se sabe, né? Unzinho eu quero <3

marie-coelho elvis-cobertor

Se você tem gatinhos, comenta aí embaixo sobre eles <3 Ou responde no seu blog pra eu ver também!


Resenha: Respire – K.A. Tucker (Ten Tiny Breaths #1)

Em 05.09.2016   Categoria: Resenhas

respire-katucker Respire é o primeiro livro da série Ten Tiny Breaths da autora canadense K. A. Tucker e, se você tiver a mesma mania que eu tenho de não ler sinopses antes de ler os livros, vai descobrir que vários gêneros compõe a história ao decorrer das páginas. Poderia classificá-lo como YA (Young Adult), apesar dele ser NA (New Adult), mas acho que vai um pouco além…

Conhecemos Kacey Cleary, uma garota que passou por uma experiência extremamente traumática: em um acidente de carro causado por bêbados, Kacey perdeu os pais, a melhor amiga e o namorado. Todos de uma só vez. Apenas ela conseguiu sobreviver – fisicamente, pois emocionalmente e mentalmente não tem sido nada fácil. Mas ela se esforça muito por causa de sua irmã, Livie, que precisa de uma irmã mais velha neste momento difícil.

“— Apenas respire. Dez respirações curtinhas…
Prenda o ar.
Sinta-o.
Ame-o.”

Elas vão morar com os tios, mas Kacey não os suporta – principalmente depois que seu tio além de gastar toda a herança delas em um jogo, tenta abusar sexualmente de Livie. Por conta de tudo isso, ela resolve que é hora de fugirem e tentarem recomeçar uma nova vida longe dali, longe de todos, só as duas. Assim, elas vão para Miami e alugam um apartamento pequeno, mas é o que Kacey consegue pagar enquanto procura um emprego melhor do que ser barista da Starbucks. Seu foco é manter Livie na escola e conseguir juntar dinheiro para mandá-la à universidade.

Kacey é durona, após o acidente ela criou uma camada de gelo que envolve não só seu coração, como toda a sua personalidade. Ela tentou lidar com a perda com drogas, bebidas, sexos casuais, etc. O que ela não suporta é tocar na mão de alguém. Ela pode fazer tudo com um garoto, a única coisa que ele não pode fazer é chegar perto de suas mãos (sim, há uma explicação plausível para isso).

Kacey não tem sentimentos, ela canaliza toda a sua angústia e raiva fazendo kickboxing e fica contente quando encontra uma academia próxima à sua nova casa. Lá ela poderá dar quantos chutes e socos quiser nos sacos de areia. Mas Miami deveria significar uma nova vida e Livie tenta lembrá-la disso quando conhecem a vizinha Storm e sua filha-gracinha de 5 anos, Mia. Ela pede que Kacey ao menos tente. Tente deixar alguém entrar na vida dela.

Storm se torna uma ótima amiga e até consegue um emprego com o salário bem melhor do que o atual para Kacey, apesar dele ser em uma boate noturna e Kacey ter que lidar com meninas de roupas mínimas, ou sem roupas, e precisar ser simpática e sorrir para conseguir boas gorjetas. No fundo ela acaba gostando bastante do trabalho e agradece, do seu jeito, Storm pelo que ela conseguiu fazer.

Além de Storm, outro vizinho que acaba entrando na vida de Kacey é Trent. 25 anos, bad boy sedutor, misterioso e, o mais importante, o primeiro que consegue derrubar algumas barreiras de Kacey com um simples olhar. Trent é exatamente aquilo que Kacey não queria que fosse, mas não consegue evitar o calor que percorre seu corpo quando o vê. Será que Trent vai finalmente fazer com que Kacey confie novamente em alguém? Que vai deixá-lo segurar sua mão e encontrar conforto e não mais aflições?

Não vou me prolongar no relacionamento dos dois porque precisaria passar por alguns spoilers e estragaria a história. Só digo que se você ficar um pouco irritado por ser tudo muito rápido, aquela famosa “paixão-miojo” (instantânea), dê uma chance; você pode criar uma certa empatia por eles sem ao menos perceber.

O livro é bom, mas demora um pouco para “pegar no tranco”. Tem uma leve lição de moral por trás da história, mas o que me fez não dar 5 estrelas foi o fato de ser bem previsível já lá pela página 130. Mas algumas pessoas, pelo menos das resenhas que li, não tinham pegado isso logo de cara, então acho que não é tão previsível assim. Não sei, mas apesar disso, os últimos capítulos não acontecem da forma como imaginamos, então dá um toque a mais para o desfecho da história.

Este livro me tocou de uma forma que eu não sei explicar muito bem, eu realmente não achava que sentiria o que senti quando li as últimas páginas e os agradecimentos da autora. Já li histórias bem mais intensas e complexas e não me senti assim, mas o subconsciente interpretou de outra forma e cá estou eu, escrevendo essa resenha sem querer parar e tendo que parar para não estragar a leitura de ninguém.

Não são todas as pessoas que gostarão da história, muita gente vai largar o livro na metade e muita gente não vai entender a minha conexão com ele, mas se você quiser dar uma chance, te digo para ler sim. Para dar uma segunda chance a Kacey e sua vida louca.

O segundo livro, One Tiny Lie, é sobre Livie e sua faculdade, mas ainda não foi lançado no Brasil. Espero que a Fábrica231 lance todos os livros da série, porque gostei bastante das personagens e quero conhecer mais sobre o outro lado delas.

Respire – Ten Tiny Breaths
Páginas: 320 Editora: Fábrica231 Nota: ★★★★☆

Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o site Livros em Série.


Página 1 de 27212345... 272Próximo