Crítica: A Estranha Vida de Timothy Green

Em 22.02.2013   Categoria: Filmes

timothygreen A Estranha Vida de Timothy Green (The Odd Life of Timothy Green)
Gênero: Comédia Dramática
Ano: 2012
Direção: Peter Hedges
Distribuição: Disney Pictures
País de Origem: EUA
Duração: 105 minutos
Nota: ★★★★★

Sinopse: Cindy (Jennifer Garner) e Jim (Joel Edgerton) formam um casal que descobre que não pode ter filhos. Em uma noite regada à vinho, Jim propõe à sua esposa que façam um jogo: ambos escreveriam em pedaços de papel as características que gostariam que seu filho tivesse, tal como “ele nunca desiste das coisas”, “irá marcar o gol da vitória” e “será como Picasso, com um lápis”. Em seguida eles colocam os pedaços de papel em uma caixa e enterram no quintal. Porém, e é sempre no “porém” que a fantasia acontece, após uma noite com uma estranha tempestade, um menino cheio de lama aparece na casa dos Green. A partir daí a história já está lançada. Timothy aparenta ter entre 10 anos e seu comportamento “é o de um menino com as qualidades que os pais desejaram”, mas “essas qualidades se manifestam de maneira que nunca poderiam ter imaginado”.

Um filme para assistir naquela tarde chuvosa, com o coração na mão e pensando no seu futuro. Com atuações sutis, uma história leve e fantástica ao mesmo tempo, A Estranha Vida de Timothy Green pode entrar para a sua lista de filmes favoritos facilmente.

The Odd Life Of Timothy Green

O filme é narrado pelo casal Green, que tem muita vontade de ter filhos, mas não conseguem, então partem para a adoção. Eles estão tentando convencer os responsáveis pela liberação da adoção do porquê seriam bons pais enquanto contam a incrível – e estranha – história de como Timothy apareceu na vida deles.

Cansados de não conseguirem ter um filho, Cindy (Jennifer Garner) e Jim (Joel Edgerton) resolvem colocar em papéis as qualidades que eles adorariam que seu filho tivesse. Honestidade, bom em esporte, bom músico, bom artista e etc. Eles colocam tudo dentro de uma caixinha de madeira e tem a brilhante ideia de enterrá-la no jardim.

Durante a noite cai uma tempestade terrível sobre a cidade e Jim acorda ao escutar um barulho e desce as escadas para ver o que poderia ser. Não encontrando nada, volta para a cama e abraça Cindy por cima dos lençóis – até ele descobrir que ela está no banheiro e quem está na cama é outra pessoa – ou melhor, criança. Após sair correndo e deixar marcas de terra pela casa, Cindy e Jim encontram um garoto coberto de terra e decidem dar banho nele enquanto perguntam porque fugiu de casa.

E é aí que toda a mágica acontece: Timothy (CJ Adams) veio da caixinha de madeira de Jim e Cindy, com as características que pediram, o nome que desejavam e chamando-os de pai e mãe. Timothy é uma graça, educado, fofo e tem folhas nas pernas. Isso mesmo, folhas. Apesar de não entenderem as folhas e muito menos como Timothy apareceu na vida deles, Cindy e Jim resolvem apresentá-lo como filho para a família, vizinhos e colegas de trabalho – porém sem contar ou mostrar as folhas, sempre escondendo-as com meias compridas.

The Odd Life Of Timothy Green

Timothy vai à escola, apanha dos mais velhos e blablabla, tudo que uma criança americana passa, porém seus pais, por serem superprotetores, vão atrás dos pais dos meninos que fizeram “bulling” com Timothy, além de outras coisas em que eles interferem para fazer a vida de Timothy, uma vida perfeita. Como eles mesmos disseram “uma infância perfeita”.

E para uma infância ser perfeita, não pode faltar uma garota no meio. Desde a primeira vez que Timothy viu Joni (Odeya Rush), sabia que teria que se aproximar dela. Os dois tornam-se grandes amigos depois dela dizer que entende as folhas de Timothy e mostra que também tem uma diferença, uma marca de nascença (oi?). Eles passam muito tempo juntos e Cindy fica preocupada, não acha que é hora dele se apaixonar e vai atrás da garota para saber o que tanto eles fazem juntos.

A vida de Cindy e Jim parece perfeita com Timothy junto deles, porém mal sabem eles que não será para sempre e que nem tudo o que desejavam em uma criança pode virar realidade. Eles cometem muitos erros como pais e se culpam por isso, mas sabem que se não errarem, não aprenderão a se virar.

Segurei minhas lágrimas em vários momentos do filme, ri em outras e desejei apertar as bochechas do Timothy durante o filme todo. Apesar de ser um tiquinho cliché, a história é uma graça e faz com que você se apaixone não só por Timothy, como por Joni e os Green. Como disse, é um ótimo filme para assistir em uma tarde chuvosa e pensar no seu futuro – vale mesmo a pena planejar todas as características do seu filho ou é melhor aceita-lo como ele vier “ao mundo”?

timothygreen3

Destaque à linda trilha sonora, fotografia do filme e atuações.

Super hiper mega recomendado se você gostar de pelo menos metade do que escrevi nessa “crítica”! :)

 


  • Nathália Fanti

    Em 22.02.2013

    Onw *-* Eu não conhecia esse filme, mas já quero muito assistir, parece ser muito fofo fofo. Se você disse que segurou suas lágrias, acho que eu vou chorar um pouco mais nesse filme ><

    [Responder]

  • Kelry Caroline

    Em 22.02.2013

    Oi Juh vi o trailer e adorei, todo bom filme tem que ter um pouquinho de clichê né.

    [Responder]

  • Carolina

    Em 22.02.2013

    Argh, esse filme é tão lindo que só de lembrar sinto vontade de chorar. Uma verdadeira lição de vida com lindas atuações e, como você disse, uma fotografia maravilhosa.

    Beeijo!

    [Responder]

  • Flavinha

    Em 22.02.2013

    Oi Juh!

    Adorei a sinopse e a crítica. Já vi que vou chorar quando eu assistir esse filme, do jeito que eu sou chorona, vou pagar mico rs.

    Vou assistir com certeza, gosto de filmes nesse estilo, que dá pra assistir com a família toda junto.

    Beijinhos

    http://www.chatadoslivros.blogspot.com.br

    [Responder]

  • larissa

    Em 22.02.2013

    eu assisti esse filme na escola ele e muito bom mesmo eu vou comprar esse filme para eu assistir nova mente

    gostei mesmo do filme

    [Responder]

    Guenia Bunchaft:

    Adorei o filme, muito sensível, mostra a necessidade que algumas pessoas têm de terem filhos e como ficam fustradas por não consegui-lo. O Thimothy é realmente uma criança que aparece de maneira mágica na vida do casal Cindy e Jim, envolvendo toda a família e levando Jim a vivenciar novamente sua relação mal estruturada com o pai durante a sua infância. E o final do filme também é muito bonito e comovente, pois o casal realiza seu sonho.
    Dra. Guenia Gunchaft
    http://www.sospesquisaerorschach.com.br

    [Responder]

    Camille:

    É bom mesmo eu vih na escola também é gostei🤗

    [Responder]

  • Gabriella

    Em 22.02.2013

    Eu tenho sérios problemas com filmes dramáticos. Odeio coisas que me fazem chorar. ;-;
    Mas o que me encantou MUITO neste filme, é como eles dão destaque ao amor de forma pura e suave, dando uma calmaria inexplicável. O fim não me agradou muito, mesmo que eu tenha entendido a missão do Thimothy. Eu chorei demais. Fiquei triste.
    Esse filme me deixa muito confusa; quando eu tenho coisas para reclamar, aparecem outras que me fazem amar. A trilha sonora foi uma delas; nossa! Linda demais!
    Muito boa crítica.
    Para quem gosta de drama, esse filme é uma boa pedida. ;)

    [Responder]

MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Seleção de Livros! Clique e confira.