Glúten e Obesidade: A Verdade que Emagrece

Em 24.10.2011   Categoria: Dando um UP!, Livros, Resenhas

Não sabia se entitulava esse post como Resenha ou como parte do Dando um UP!, então deixei sem categoria nenhuma, haha
No último post do Dando um UP!, eu falei que estava lendo esse livro. Bem, terminei naquele dia mesmo e adorei!

Vamos começar com a resenha:

Glúten e Obesidade: A Verdade que Emagrece
Autora: Regina Racco
Editora: R. Racco
Páginas: 159
Nota: ♥♥♥♥♥

Sinopse: Conheça a dieta sem glúten e entenda porque os benefícios em sua saúde serão maiores do que apenas o emagrecimento definitivo! O livro mostra a dieta que a autora fez para sanar um problema de saúde e que resultou em seu fantástico emagrecimento!
Nele, você entenderá porque fatores que foram desprezados durante anos acabaram por contribuir para o mundo doente que nos cerca.
Conheça mais sobre o Glúten (proteína presente no trigo, aveia, cevada e centeio). Saiba por que ao deixar de consumi-lo, nos tornamos mais saudáveis.
Este é o relato de impressionantes oito semanas em uma dieta rica em nutrientes, sem fome, saborosa, fácil, com pão e sem glúten e o adeus definitivo ao excesso de peso e a conquista de mais saúde e energia.

 

Regina Racco escreveu esse livro em 2008 e tinha 57 anos quando decidiu fazer a dieta do glúten, não para emagrecer, mas para cuidar de um outro problema: o mal de Alzheimer. Nenhuma pesquisa foi concluída afirmando que a retirada do glúten na alimentação poderia ser uma cura parcial para a doença que afeta muitas pessoas ao redor do mundo, mas a Regina quis arriscar mesmo assim. Ela não sofre dessa doença, mas percebeu que estava esquecendo de algumas coisas importantes e isso já é um sinal de que o Alzheimer está por vir; então ela resolveu adotar a dieta para descobrir se haveria melhoras. E houve.

Regina procurou uma nutricionista para ajudá-la na dieta e preparou um cardápio especial com alimentos sem glúten para ela. Inicialmente ela faria a dieta por 8 semanas, para ver o que aconteceria. E os resultados foram ótimos! Sem perceber ela começou a emagrecer e os esquecimentos foram esquecidos (sorry, haha), ela não perdeu nenhum evento importante ou esqueceu de alguma data que precisasse lembrar. Quanto ao emagrecimento, ela perdeu DEZ quilos em OITO semanas sem tanto esforço e sem praticar tanto exercício físico, além da aula de ginástica íntima em que ela é a professora.

O livro é dividido em 3 partes: A primeira contando um pouco da história de Regina, contando um pouco sobre o que é o glúten e a dieta dele e registrando as oito semanas de dieta. Na segunda parte ela conta mais sobre a dieta e na terceira quem tem a palavra é a nutricionista que a ajudou na dieta, a Dra. Elenise Corbari. E no final ainda podemos encontrar muitas receitas de alimentos sem glúten.

 

Agora vamos para a parte do Dando um UP!:

Nunca comprei nada relacionado a dietas por simplesmente não acreditar nisso, mas desde que passei a visitar o site da Camys (http://pensandomagro.net) e vi que ela teve muita ajuda do livro “Pense Magro”, comecei a procurar nas livrarias o dito cujo e dei uma folheada em outros livros sobre dietas. “Dieta dos 17 dias”, “Magra & Poderosa”, “A Dieta do Suco”, “Dieta dos Países Magros” e muitos, muitos outros. Mas como pretendia não comprar mais nenhum livro até o final do ano, não comprei nada. Até entrar um dia na Saraiva para comprar um presente pro meu namorado e de repente um livro rosa me chamou a atenção (parabéns, Regina, acertou na cor!), principalmente pela palavra GLÚTEN estampada nele. Li o sumário, prefácio, dei uma folheada, vi o preço e comprei. Li durante o final de semana e terminei na segunda feira. E não me arrependi!

Vamos aos casos: já conhecia sobre o glúten. Na verdade, todos conhecem, já que em todas as embalagens está escrito “CONTÉM GLÚTEN”/”NÃO CONTÉM GLÚTEN”, mas aposto que uns 80% das pessoas não tem a menor ideia do porquê disso e nem o que é glúten. Então eu darei uma aulinha muito rápida disso:

Glúten é uma proteína presente no trigo, aveia, cevada e centeio (como dito na sinopse do livro) e não serve pra nada. HAHAHA Brincadeira, mas ela não é necessária para o nosso organismo, ele só está apenas acostumado com ela, já que mais da metade dos alimentos ingeridos possuem essa proteína. Falando bem diretamente, o glúten serve para dar algumas consistências aos alimentos. SÓ!

Agora, como eu fiquei sabendo do glúten? Meu querido namorado, senhor Guilherme, é intolerante a glúten, ou seja, ele é celíaco, não pode comer nada que leve glúten em sua composição. Quando começamos a namorar, ele ainda não sabia disso. Ele tinha alergia a alguma coisa, mas nenhum médico descobria o que era, até dizerem que era alergia a ácaro – mas não era possível aquele menino dormir em lugares limpinhos, com lençóis lavados e tudo mais e a alergia não melhorar nem um pouco.
Depois de 4 meses que estávamos juntos (ele com quase 20 anos), ele resolveu colocar no Google os sintomas que tinha: apareciam bolinhas em certas partes do corpo (braços e costas principalmente) e coçava muito, muito mesmo e aí ele ia lá coçar e virava uma ferida (lembro até hoje dele se coçando a noite toda e eu batendo nele pra ele parar haha). E ele descobriu casos da Europa de pessoas com esse mesmo problema de coceira: pessoas celíacas. Não, vocês não entenderam errado: ele passou CINCO anos com essa alergia indo a médicos, dermatologistas e alergistas e quem o diagnosticou corretamente foi o GOOGLE!
Ele voltou ao médico e pediu um exame de sangue para detectar se era celíaco ou não: e foi o que realmente pensamos, infelizmente, ele é celíaco mesmo.

Bem, desde então ele não ingere alimentos com glúten quase nunca. Digo quase porque uma vez ou outra ele foge da dieta, mas eu entendo. Imagine que difícil você ir a uma festa de criança, por exemplo, em que só tem salgadinhos, docinhos e bolo e você não pode comer n-a-d-a disso? Então ele vai lá e come uma ou duas coxinhas e alguns brigadeiros (dependendo de como foi feito, não tem glúten), mas nada de mais. Mas acho que pra ele o que mais pesa é a cerveja (eu não teria esse problema, eca), porque cevada contém glúten, então…
Infelizmente a doença celíaca ainda não tem cura, mas estamos otimistas que a ciência ainda resolverá esse problema! Enquanto isso, temos que procurar alimentos alternativos para poder manter a alimentação normalmente.

A doença celíaca ainda é pouco conhecida no Brasil, apesar de estudos apontarem que 1 entre 200 e poucas pessoas são celíacas. Acho que um grande problema, também, é que a doença pode ou não aparecer desde quando a pessoa é bebê. Vejam o Gui, só apareceu quando ele tinha 15 anos.

Mas vamos ao que interessa (ou não, né haha): pensei seriamente em fazer essa dieta! Além de ter os grandes benefícios de limpar o organismo e emagrecer, posso acompanhar o meu namorado! Isso não é ótimo?
Para isso, preciso abastecer o armário de casa (e preciso dizer, os alimentos sem glúten não são nadica baratos) e me acostumar a não comer mais um club social integral, barrinhas de cereais (poucas não tem glúten) e… PÃO. É, eu tenho quase o mesmo problema da Regina: ela era viciada em pão, eu só gosto, mas mesmo assim não vejo o meu café da manhã sem pão. Sim, tem pães sem glúten, mas não são muito bons (pelo menos é o que o Gui fala), então tentarei fazer alguma receita que tem no livro da Regina e ver se acerto para poder fazer pão para mim e para o Gui.

Acho que algo que me anima na dieta é que poderia comer doce (sem exagerar, claro). Porque só de cortar tudo que tem glúten, já elimino muita massa e doce (o que eu não posso comer por causa da insulina que tá alta), então poderia uma vez ou outra comer um chocolatinho sem glúten, um bolo sem farinha e essas coisas.
Vou terminar esse mês com a minha dieta “normal” (que não está indo muito bem…) e aí pensarei na dieta do glúten e conto pra vocês! Afinal, se a Regina emagreceu 10 kg em 8 semanas sem muito exercício, se eu me esforçar e ir para a academia direitinho, posso emagrecer uns 20! hahaha Não, não, cada um tem o seu metabolismo, mas nunca se sabe.

Recomendo a todos que leiam um pouco sobre glúten e pensem seriamente em reduzi-lo (não precisa ser tão radical também, né!) na alimentação. Vocês só terão resultados positivos.

 

PS: Hoje completo 1 ano e 6 meses de namoro com o meu celíaco preferido, haha. Parabéns pra gente, amor <3


Comentando nesse post você tem uma chance extra na promoção Mês das Crianças.


  • Gabriela

    Em 24.10.2011

    Gostei da dica e realmente nunca tinha parado pra pensar no que era esse tal de glúten – eu tinha uma ideia errada sobre ele. Fiquei interessada mesmo nessa dieta, não tanto para emagrecer, mas para tornar meu organismo mais saudável. Ah, acho que vc deveria acompanhar seu namorado nessa dieta, sim, acho que é bom para vocês dois – além de ser super fofo *-*

    Beijos.

    [Responder]

  • Babi Lorentz

    Em 24.10.2011

    Juh, por ter lido o post, acabei conhecendo o blog da Camilla. Adorei conhecer a história dela. Realmente é um motivo pra gente pensar: se ela consegue, eu também consigo.
    Gostei de ler o que você falou porque eu não conhecia a história do gluten. Não sabia como funcionava – como não funciona, kkk – e fiquei tentada a tentar eliminar isso da minha alimentação.
    Quem sabe eu não consiga também, né?

    Beijos!

    [Responder]

  • Marlene

    Em 24.10.2011

    Eu sou obesas e tenho gordura no fígado tenho muita tontura e não tenho ânimo só consegui médico pró dia 19 de setembro estou fazendo regime por minha conta tomo bastante água com limão e comprei um xarope que se chama cura tudo comprei na casa de ervas mas minha tontura continua não sei o que faço

    [Responder]

MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Seleção de Livros! Clique e confira.