La La Land – Cantando Estações: o filme/musical do momento

Em 30.01.2017   Categoria: Filmes

Há uma semana eu ainda estava de férias #saudade e aproveitei para ir ao cinema em um horário aleatório na segunda feira a fim de não pegar muito cheio e sem gente sem noção (quase deu certo).

Primeiramente precisarei abrir um parênteses: eu tenho um azar em locais divididos com outras pessoas que é de outra dimensão. Quem convive comigo sabe muito bem: quando não tem a opção de escolher os lugares da última fileira no cinema, eu sempre vou sentar na frente de alguém que fique me chutando; em shows eu sempre vou ficar perto de alguém que me empurre, não cale a boca ou qualquer outra coisa que me irrite e me faça brigar; eu sempre pego ou pessoas lentas ou caixas com problemas em supermercados/farmácias, etc.

Sim, é um saco, mas eu queria muito assistir a esse filme e por isso escolhi um horário aleatório. Bem, não deu muito certo porque, infelizmente, tinha um casal de adolescentes que não calou a boca o filme inteiro – o lado bom é que tinha um carinha próximo a mim que ficou mandando os dois ficarem quietos o filme inteiro – então me poupou um pouco de ficar fazendo “shiu” haha. Fica um recado: se você for sair pela primeira vez com uma pessoa, por favor, não vá ao cinema para “se conhecer melhor”. Pode ser difícil acreditar, mas tem gente ali que realmente vai para assistir ao filme.

DE QUALQUER FORMA, deu para assistir ao filme e entender o porquê de ter ganho tantos Globos de Ouro e ter tantas indicações para o Oscar (mais precisamente 14, igualando-se ao Titanic!) – e me vi na obrigação de contar para vocês sobre ele para que possam correr para o cinema e assistir antes do Oscar (será dia 26 de fevereiro)!

la la land - awards
Imagem via: Red Carpet Crash

Para dar aquela introdução básica sobre o enredo do filme: La La Land é um musical que conta a história de Sebastian (Ryan Gosling), um pianista que sonha em abrir seu próprio clube de jazz, e de Mia (Emma Stone), aspirante a atriz que não dá sorte em seus testes e audições. Os dois estão buscando seu próprio espaço em uma cidade super competitiva (Los Angeles, obviamente) e, com isso, enfrentando dificuldades para ficarem juntos.

O diretor (e roteirista) do longa é o novato Damien Chazelle (Whiplash). A intuição de Damien era fazer uma homenagem aos grandes musicais do passado – e conseguiu com sucesso. Além de toda a cantoria, as coreografias são fantásticas e são assinadas por ninguém menos que Mandy Moore. Apesar de toda essa homenagem a clássicos e remontagem de cenas, o filme se passa na atualidade – porém com um toque a mais de fantasia.

Mas vamos começar do começo: Mia e Sebastian se esbarram diversas vezes – tipo aquelas coisas loucas de “destino”, sabe? Mas demora alguns esbarrões para eles darem uma chance ao sentimento que pode estar nascendo ali. O filme é dividido em quatro segmentos que representam as estações do ano e é aqui que vem o destaque para a fotografia: ela consegue ser maravilhosa nas quatro estações.

 

Em um dos encontros dos dois, Sebastian leva Mia para um bar completamente fora de moda, para que ela sinta como funciona uma jam-session de jazz com uma banda tradicional. Enquanto ela tenta se deixar levar pelo estilo de música “ultrapassado”, Sebastian vem com uma explicação mais ou menos assim: “Observe como os instrumentos dialogam, o lindo nisso tudo é que cada um toca individualmente seu instrumento e a cada noite sai algo diferente”.

la la land - jazz session
Imagem via: Empire Online

É aí que surge mais uma personagem (são pouquíssimas que têm destaque no filme), Keith (John Legend), amigo antigo de Sebastian que o convida a ser pianista de uma nova banda. A minha primeira impressão foi que Sebastian não aceitaria, mas, me contrariando, ele vai a um ensaio e acaba gostando de poder, finalmente, tocar o que quer em seu piano – um quase-jazz. Ele assina até o contrato com Keith e, juntos, gravam álbum e seguem para algumas turnês.

la la land - keith and sebastian
Imagem via: Movieholic Hub

Em paralelo, Mia continua participando de diversos testes e audições, mas continua recebendo negativas. Até que ela resolve escrever sua própria peça e atuar nela… Já que ninguém quer dar um papel a ela, ela criaria um e se apresentaria sozinha; com roteiro, produção e atuação própria. Infelizmente Sebastian não está por perto para acompanhar a noite de estreia e, obviamente, é aqui que começam os problemas do “casal-feliz”.

la la land - sunset
Imagem via: Episódios de Hoje

Eu li muita gente criticando as cenas de coreografia… Que eles não dançam bem, que deveriam ter ensaiado mais ou escolhido atores que fossem melhor nessa área, mas eu sinceramente achei que foi um toque a mais toda essa “inexperiência” deles. Deixou o filme mais leve, sem muito perfeccionismo – e até mais próximo do real (se é que dá para colocar um filme desses na realidade). Me diverti em todos os momentos em que eles simplesmente se entregavam à música e à dança.

lalaland - sapateado

Falando em música, não tem como não indicar a trilha sonora – duas dessas estão concorrendo ao Oscar de Melhor canção original, “Audition (The fools who dream)” e “City of stars”. Já tem o álbum completo no Spotify e você pode ouvir a todas as músicas aí embaixo:


Algumas reviravoltas acontecem ao longo do filme e são necessárias para que ele não fique monótono e fantasioso demais. Obviamente que não vou detalhar nada do que acontece, então você terá que assistir ao filme todo para ver. Só posso dizer que, mesmo que não seja algo tão feliz, há uma reconstrução de acontecimentos sensacional. Foi a minha parte favorita de longe. Aliás, vou me antecipar e dizer que eles devem levar os prêmios de Melhor Edição e de Design de produção.

la la land - mia and friends
Imagem via: Um Tigre no Cinema

O que ainda posso falar é que rola uma certa decepção com o caminho que ambos seguem: o que eles tanto “prometiam” a si mesmos no início do filme – não cair no modismo e se deixar levar pelas escolhas da sociedade, não é o que cumprem. Dá para entender o motivo de cada um, é claro, mas não tem como não pensar que eles seriam diferentes e não seguiriam esse rumo. Um ponto positivo é que mesmo com tudo isso, o lado mais romântico do filme permanece até o fim e enche alguns olhos d’água.

la la land - seb and mia
Imagem via: Q Stage

Se ainda não assistiu ao trailer (que mundo você vive?), é só dar play no vídeo abaixo:

Tenho que finalizar dizendo que La La Land não é para todos. Basta buscar por “críticas” por aí e ver a quantidade de pessoas cuspindo ódio por um filme que é puro amor. Não entra na minha cabeça como alguém pode não gostar de um filme desses, mas respeito. Se você não gosta de musicais espero que não seja cínico de assistir e dizer que odiou – o filme não é para você. Se você não gosta de fantasias, este filme também não é para você. E, por fim, se você não gosta nem do Ryan e nem da Emma, sinto muito, mas eles vão aparecer em 98% das cenas do filme, uma vez que eles são os protagonistas e cantam, dançam, choram e riem.

lalaland

Bônus!

Encontrei este mapa no site IndieWire e não podia deixar de compartilha-lo. Ele mostra onde foram filmadas diversas cenas do filme em Los Angeles:

E aí, você já assistiu? O que achou? Quais as expectativas para o Oscar? Me conte aí nos comentários! :D


MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Seleção de Livros! Clique e confira.