O dia em que a hipocrisia ganhou o prêmio Nobel

Em 07.07.2014   Categoria: Random

Esse é o post um pouco fora dos padrões do blog. Mas como já disse que quero mudar um pouco as coisas, me vejo no direito de postar o que estou sentindo em uma forma meio que de desabafo em um espaço só meu (já que nem no próprio Facebook podemos colocar nossas opiniões, espero que pelo menos no meu blog eu possa).

Eu comecei a escrever esse post semana passada e deixei no rascunho para completar com algo que viesse a acontecer no final de semana ou simplesmente apagá-lo e deixar tudo como está. Mas, bem, o blog é meu e eu posto sobre o que quiser e, se estou com vontade de desabafar sobre a tal hipocrisia que vem rondando minha timeline do Facebook/Twitter e etc, vou fazê-lo. Então aqui está, um post de quem tenta enxergar os dois lados da moeda e cansou da hipocrisia de muitos.

hipocrisia

 

Toda a revolução da internet começou quando resolveram aumentar a passagem do transporte público em 20 centavos. Eu até falei sobre isso aqui no blog, apoiando o pessoal que foi lá manifestar e tudo mais. Até aí ok, estavam com a razão de reclamar de algo que já é um absurdo e queriam transformar em um absurdo ainda maior; mas começaram a quebrar tudo, fazer arrastões e etc e o intuito do movimento foi se perdendo. E aí, alguém, do nada, resolveu gritar lá no meio “NÃO VAI TER COPA” e o pessoal achou que seria legal ser contra um dos maiores eventos mundiais às vésperas do início dele.

naovaitercopa

Sobre esse assunto em particular: não, não é legal. Primeiramente que sim, ia ter Copa você protestando ou não. Segundo que, se você é contra os gastos públicos para um evento “pão e circo”, por que não foi lá na porta do Congresso Nacional em 2007, quando anunciaram o Brasil como país sede? Ah, por que você ficou feliz que o seu país, depois de 64 anos, receberia um evento como esse, não é? Pois é!

Esse é o problema dos cidadãos, só conseguem enxergar que está sendo prejudicado quando mexem diretamente no seu bolso. E não, não vem me dizer que você ficou revoltado quando desabrigaram famílias de favelas próximas às obras porque não é verdade. Você não está nem aí para a família que perdeu seu barraco, você está preocupado com o imposto que paga todo ano (diferente desse “favelado”), com o seguro de saúde que deixa a desejar, apesar de levar metade do seu salário e do preço da gasolina que aumenta a cada semana. Seja um pouco menos hipócrita e comece a pensar mais nas consequências antes delas chegarem ao seu ponto alto.

Falando ainda da Copa – que, desculpa sociedade, está tendo, está sendo a melhor Copa de todas e o mundo inteiro está abaixando a cabeça depois de falarem tão mal da nossa desorganização, das manifestações, violências e etc, o assunto mais falado do final de semana, aquele que eu estava esperando para concluir esse post, foi o que me deixou com mais vontade de realmente finalizá-lo e postá-lo.

Neymar.

Assim que o jogo terminou e saiu a notícia de que o nosso camisa 10 estava fora da Copa, Facebook, Twitter e Whatsapp bombaram. Li coisas boas, li piadas engraçadinhas, piadas sem graça e mais hipocrisia.

neymar_machucado

Então quer dizer que eu não posso postar #ForçaNeymar porque o cara é rico, está sendo tratado por um fisioterapeuta particular e não foi parar no SUS?
Eu não posso empatizar com a dor que ele sentiu, com a destruição de um sonho de um menino só porque ele é um jogador de futebol bem sucedido? Que mundo é esse?
Não posto publicar uma foto no meu Instagram mostrando minha solidariedade para amenizar a dor de um dos meus ídolos e dar apoio à minha seleção de futebol porque assim que acabar a Copa ele vai voltar pra Europa e “eu vou ficar aqui”?

Então quer dizer que eu só posso chorar por quem é inferior ou igual a mim, seja na questão financeira, social ou profissional? Eu não posso chorar quando passa uma reportagem sobre a morte do Senna porque ele era milionário? Eu não posso ficar preocupada com o Michael Schumacher só porque ele tem uma profissão “melhor” que a minha? Não posso xingar o juiz quando um jogador dá uma entrada feia em um jogador do meu time só porque ele é jogador de futebol? Quem são vocês para julgar o destino dos meus sentimentos, da minha dor, da minha alegria e, acima de tudo, quem eu gosto ou deixo de gostar?

Sim, está sendo um exagero tudo que estão falando sobre o Neymar, falar sobre ele três dias seguidos cansa até mesmo os maiores fãs dele (eu, bjs), mas qual é o problema de compartilhar o vídeo dele cheio de lágrimas nos olhos dizendo que o impediram de realizar um sonho, mas que o sonho ainda não acabou?

Qual o problema de postar sua indignação sobre um lance totalmente sem nexo em que o juiz ao menos deu falta? Todos têm o direito de expressar o que pensam a respeito, desde que respeitem as opiniões dos outros sem acusar um ou outro ou ficar de mimimi porque é o Neymar.

Eu li tantos absurdos por aí, mas dois me pegaram:

Se fosse qualquer outro jogador você não estaria nem aí.

Mentira. Qualquer jogador faz falta para a equipe menos o Fred, ficaríamos tristes e preocupados se fosse David Luiz, Luiz Gustavo, Bernard, Dani Alves, Thiago Silva (que também vai fazer falta amanhã!), Julio Cesar… Não é exclusividade do Neymar, mas calhou, infelizmente, de ser ele!

Um viaduto caiu e você aí postando “Força, Neymar”.

Só queria saber exatamente o que uma coisa tem a ver com a outra…

Viaduto caiu nesta quinta-feira em Belo Horizonte

Não, não estão deixando de falar sobre o terrível acidente em BH sobre o viaduto que caiu e matou pessoas. Uma coisa não tem absolutamente nada a ver com a outra. Pessoas morrem todos os dias, seja por causa de viadutos, de falta de médicos, de suicídio ou de um acidente de carro de Fórmula 1; mas só porque, infelizmente, isso aconteceu ao mesmo tempo que um colombiano tirou um brasileiro da Copa, não quer dizer que ninguém se importa, não quer dizer que não será veiculado (porque está sendo!). Ninguém está dando menos importância porque “um famoso” foi vítima de agressão dentro de campo, é você que está misturando as coisas e sendo hipócrita.

Está na hora do pessoal acordar para a vida e perceber o quão idiota é postar esse tipo de coisa nas redes sociais, o quão idiota é desejar que um jogador morra por ter sofrido ou feito uma falta (não, cara, não adianta xingar Zúñiga em lugar nenhum!), saber separar uma coisa da outra e, principalmente, parar de ser hipócrita a ponto de achar que a Copa está comprada e, caso o Brasil seja Hexa, a Dilma seja reeleita.
Claro, porque o futebol tem tudíssimo a ver com política e com quem governa o país. Não, galera, quem vota somos nós, não a Confederação da Fifa!

Então, sejam menos hipócritas assim que a Copa acabar, procurem saber mais sobre os políticos e façam sua parte em Outubro. É assim que se muda um país, não reclamando que o Neymar não merece toda a atenção que está sendo dada.

O post ficou enorme, você não precisa ler e muito menos comentar. Comentários com xingamentos e desrespeitosos serão excluídos. Não vou excluir comentários contrários à minha opinião, desde que exposta em nível decente. Não confunda opinião com hipocrisia, ou você precisará reler o post.

#desabafei


  • Mih

    Em 07.07.2014

    Mas o povo não tá feliz com nada, tudo vê defeito, tudo é ruim, QUE ÓDIO.
    Eu atribuo essa falta do que fazer ao tempo que a galera passa no facebook e na necessidade de parecer “cool criticando o sistema” ou criticando o que faz a maioria feliz. Ah, meu, sério? Quando foi que a internet ficou tão insuportável?

    [Responder]

  • Bianca

    Em 07.07.2014

    O pior é aquele povo que criticou o evento até o último segundo e de repente aparece no estádio com camisa da seleção. As pessoas são muito desinformadas, até mesmo as que falam que a Globo mente. Eu to por fora das redes sociais já faz um tempinho, por causa da faculdade, mas já não aguentava mais passar o dia inteiro lendo as mesmas ladainhas. É engraçado que todo mundo diz se importar, mas no fim das contas, ninguém liga: querem melhorar o Brasil mas volta e meia dão uma escapadinha para a Europa. São contra a corrupção mas adoram furar uma fila ou dar uma carteirada num guarda. Postam no facebook que são a favor da inclusão social e contra o preconceito, mas depois reclamam do “pivete favelado” que roubou o celular deles. Inclusive já ouvi uma vez (de outro brasileiro) que “só a gente pode falar mal do Brasil”, isso um pouco antes de começar a falar muito mal da nossa terrinha para um gringo. É lamentável perceber que a má fama que temos parte de nós mesmos. E, ainda assim, essas mesmas pessoas que falam mal sempre voltam cheias de saudade do “meu Brasil”. Isso até encararem algum engarrafamento por aqui. Aparentemente, essas coisas só acontecem no Brasil mesmo.

    [Responder]

  • Thaila

    Em 07.07.2014

    Acho que uma das redes sociais que ficaram extremamente insuportáveis foi o facebook. Muitos não querem que o outros tenham o direito de lazer, de dizerem o que pensam, de gostar de qualquer coisa que seja. Logo surgem textos enormes que querem dar lição de moral e mudar os valores dos outros. Sobre o futebol, acho que na hora que algo acontece ficamos com raiva e falamos coisas sem pensar. Mas, daí, falar que vai matar ou que vai estuprar alguém… Já é uma falta de bom senso e respeito. Também não entendo essa das pessoas acharem que não podemos nos comover com a história de pessoas que têm uma “condição” melhor que a nossa em qualquer área. Até porque muitos dos jogadores vieram de origem muito humilde e conseguiram crescer. Eu faço piadas, às vezes escrevo coisas sem pensar. Porém, tudo tem um limite. Acho que o principal é levar a vida do jeito que achamos melhor para nós, sem interferir na do outro.

    [Responder]

  • Cris Aragão

    Em 07.07.2014

    O grande problema da internet é que algumas pessoas agem como se pudessem dizer qualquer coisa, contra qualquer um , partem logo para xingamentos e não aceitam quem pensa ou age diferente deles. Não é só a hipocrisia que reina, é também a intolerância, a falta de educação. Mas eu acho que as pessoas sensatas não devem se omitir nem deixar de dizer, fazer apoiar, todas as causas ou pessoas que forem do seu interesse. Não devemos nos deixar vencer pela intolerância.

    [Responder]