Para ir a dois e aproveitar o frio: Monte Verde – MG

Em 26.05.2016   Categoria: Viagens

Semana passada consegui tirar o meu banco de horas junto com as férias do Gui (aka meu namorado) e fomos aproveitar um pouquinho do frio em Minas Gerais, em Monte Verde. Eu adoro a cidade e sempre quis que o Gui fosse comigo, então dessa vez deu certo e lá fomos nós… Para quem não conhece a cidade, ela é bem simples: possui uma avenida principal com comércio, restaurantes e chocolaterias e é procurada por conta do frio e clima romântico que possui.

Vou contar um pouco para vocês o que fizemos nestes 3 dias em terras mineiras.

A pousada:

O que não falta é Monte Verde é lugar para se hospedar. Tem de aluguel de chalés a pousadas, campings e hotel fazenda, para todos os gostos e bolsos. Como essa foi minha segunda viagem com o Gui, preferi escolher uma pousada um pouco mais íntima. Li várias avaliações positivas da Palos Verdes e depois de ver tantas fotos, não resisti. Mesmo não sendo a mais barata, o preço foi bem justo pelo que ela oferecia. Ficamos em um chalé individual duplex com uma cama bem grande, calefação, lareira, frigobar e hidromassagem.

chalé duplex prime

A pousada é administrada por um casal de senhores argentinos super simpático. Ao reservar recebemos um texto um tanto quanto engraçado de ler, que foi escrito pelo próprio dono, em que ele diz para não fazer imaginações, elevar as expectativas além do que está nas fotos e, se for para reclamar, nem reservar hahaha… Conversando com ele no café da manhã, acabou nos contando alguns contratempos que teve com hóspedes que o levaram a escrever tudo aquilo. Não sei do que alguém reclamaria, pois os chalés, salão de café da manhã, piscina, jardim e etc são idênticos às fotos disponíveis no site.

Aliás, o diferencial da pousada é o café da manhã: uma mesa com diversas opções de pães e bolos, frutas, sucos, café, chá e cereais e, sempre que alguém chega ao salão, as meninas da cozinha trazem pães de queijo quentinhos e dois pratinhos de frios embalados e frescos, seguindo as regras da vigilância sanitária. Achei super legal e higiênico e não sei porque alguém reclamaria disso, já que caso queira mais, é só solicitar na cozinha que eles levam… Mas enfim, tem gente chata pra tudo, né? haha O único “problema” que encontramos foi o Wifi que não estava funcionando, porém o meu 3G e do Gui estavam ótimos, então não fez falta.

cafedamanha1

cafedamanha2

cafedamanha3

Site da Pousada: Palos Verdes (reservas pelo site próprio podem ter descontos).

Existem outras pousadas e hotéis ótimos e já fiquei em vários. Como alternativa, dê uma olhada nestes: Áustria Hotel II, Hotel Cabeça de Boi, Serras de Monte Verde e o Hotel Fazenda Floresta Negra (este é maravilhoso, porém fica no meio da estrada e não na cidade).

A comida:

Assim como as pousadas, o que não falta em Monte Verde são restaurantes. A maioria é “especializada” em fondue e carnes, além das comidas mineiras caseiras. Na nossa primeira noite nós optamos por irmos no rodízio de fondue do restaurante Boteco do Lago. Já havia ido lá e gostado, então resolvi repetir. O restaurante tem um clima super gostosinho, meio ao ar livre, ao lado do lago da cidade e sempre com música ao vivo. O rodízio estava muito bom, tanto o fondue de queijo quanto o de carne estavam ótimos (até repetimos o de queijo haha) e o de chocolate deixou um pouco a desejar, mas comemos mesmo assim. De semana o rodízio sai R$49,90 por pessoa, preço bem justo pelo que foi servido e também pelo local (em São Paulo é bem mais caro e a qualidade é quase a mesma).

botecodolago

 

 

No segundo dia resolvemos “almoçar” (às 17h haha) sopa porque estava bem frio. O pessoal da pousada indicou o Restaurante Március, que eu já havia passado em frente várias vezes, mas nunca havia entrado (a entrada é meio estranha e confesso que nunca me chamou atenção). Eu pedi uma sopa de feijão no pão italiano e o Gui um sopa de queijo na cumbuca acompanhada de pães; como acompanhamento pedimos um vinho nacional e tudo estava uma delícia. Gastamos aproximadamente R$50,00 cada um.

sopamarcius

Como sobremesa, fomos até a Gressoney Chocolates tomar uma sopa de morango. É isso aí, sopa de morango! haha Eu sou extremamente apaixonada por essa sobremesa e nunca vi em nenhum outro lugar. É morango batido (mas com pedaços) com uma bola de sorvete de creme e calda quente de chocolate – não tem como ser ruim, né? O Gui adorou! hahaha

sopademorango

À noite, como havíamos almoçado bem tarde, resolvemos sair para comer algo simples, só para não irmos dormir de estômago vazio. Fomos ao restaurante Bom Di+ e pedimos uma porção de mandioca frita (bem queimada) e um suco de acerola… Bem sem graça mesmo hahaha Fiquei morrendo de vontade de comer chocolate e encontramos uma única loja meio aberta meio fechada e conseguimos comprar umas barrinhas, só pra matar a vontade mesmo. Voltamos pro hotel e fizemos uma “ceia” super chique com o vinho que sobrou do almoço e as barrinhas de chocolate, mereceu até foto haha

ceiachique

No dia seguinte voltamos ao Bom Di+ para almoçar e foi uma decepção… 1 hora esperando a comida e nem foi lá essas coisas. Não tem nem foto pra não ficar relembrando da raiva que passamos hahaha À tarde tomamos um chocolate quente em uma das melhores chocolaterias (na minha opinião), a Chocolate Montanhês, porém o preço estava beeem salgado e se tivesse visto antes, teria ido em outro lugar – já que isso é algo que servem em qualquer chocolateria. De qualquer forma, estava uma delícia rs

montanhes

À noite fomos comer fondue novamente e dessa vez escolhemos o Café Pinhão. Os fondues salgados estavam ótimos e, diferente do Boteco do Lago, o de chocolate estava maravilhoso. Acho que o fogo deste estava melhor, então derreteu mais o chocolate e ele acabou ficando mais saboroso. Tomamos um espumante para comemorar o acontecimento do dia (mais informações no final do post hahaha) e no final a conta deu em torno de R$160,00 (o rodízio também foi R$49,90 por pessoa), novamente, bem justo. Depois um dos funcionários da pousada me contou que o dono deste restaurante é o mesmo do Boteco do Lago, então explica porque os dois eram bem parecidos haha

cafepinhao

Existem vários outros restaurantes na rua principal e nas paralelas, basta dar uma olhada nas avaliações e decidir o tipo de comida que quer consumir e se jogar. Uma opção bem legal, mas que acabamos não indo, é o Paulo das Trutas, que possui um trutário e serve trutas bem feitas. Eu acho meio caro pelo que é servido, é apenas uma truta com um tipo de molho e sai mais ou menos R$50,00… Vale mais pelo local do que pela comida, então optamos por não ir. Outro lugar que chama atenção é a Chopperia do Fritz, que além de bar tem uma fábrica de cerveja artesanal. Não fomos porque eu não comia quase nenhuma das opções do cardápio (o cardápio é bem alemão, com salsichas e tudo mais).

O clima:

Normalmente Monte Verde faz mais frio que outras regiões de Minas e que São Paulo, principalmente à noite. Nós não pegamos muito frio (o dia mais frio fez 8ºC) e infelizmente pegamos chuva durante o dia todo na 4ª e na 5ª feira (ficou aquela chuva iôiô, parava e antes de ficar feliz, voltava…).

climademonteverde

Só fez sol na 6ª feira quando estávamos indo embora, mas junto com ele veio um calor de 25ºC, então até que não ficamos tão tristes assim hahaha
Vale levar blusa, touca, cachecol, bota e luva sim, nem que seja só para utilizar à noite quando for sair para jantar. Caso esqueça de levar alguma dessas coisas, não se preocupe, na avenida principal tem diversas lojinhas de acessórios e malhas. Indico bastante a Meu Pé com Meia para toucas, luvas e, claro, meias. Mas também tem várias outras opções por lá.

As trilhas:

Como disse, pegamos chuva, então imaginem como foi para tentar fazer alguma trilha, né? Principalmente quando a cabeçuda aqui olha o nome errado e vai para a trilha mais difícil da cidade! hahaha Não sei como o Gui não me matou depois de tantas escolhas erradas (sério!).

Tentamos fazer a Trilha do Platô/Pico do Selado. Na verdade era para termos feito a Trilha do Chapéu do Bispo/Pedra Redonda, pois era a mais fácil… Mas OK, só percebemos isso tarde demais.

A trilha do Platô já começa super íngreme e cheia de pedras. Como estava garoando, estava tudo escorregando e era bem complicado conseguir pisar firme em qualquer parte. Além de tudo, meu preparo físico anda bem ruim, já que não tenho ido à academia com uma frequência razoável, então a cada 5 minutos eu tinha que parar pra respirar… Aliás, foi em uma dessas paradas que entrei em desespero: eu não conseguia puxar ar de jeito nenhum – o local é muito úmido e a altitude, o que não ajuda e nada. O Gui resolveu subir mais um pouco pra ver se ainda faltava muito e depois de uns 10 minutos retornou dizendo para irmos embora, pois havia subido bastante e não tinha visto nada hahaha (rir pra não chorar!).

trilhadoplato

Quando voltamos ao hotel, fui pesquisar novamente sobre a trilha e foi aí que eu vi que tínhamos ido para a errada… Existe um outro caminho para o Platô que é mais fácil, através da trilha do Chapéu do Bispo, e era por lá que deveríamos ter ido. Mas depois de tudo que eu passei, o Gui não quis mais voltar e acabamos não concluindo a trilha e nem tentando fazer a correta. Me arrependi muito de não termos tentado ir para a do Bispo, mas aquela chuva também não nos animava muito…

trilhadoplato2

No dia seguinte tentamos fazer outra trilha: A trilha do Pinheiro Velho. Esta teoricamente seria bem fácil, se tivéssemos escolhido a entrada correta (ou se o dono da pousada tivesse nos falado qual era a mais fácil, né). Esta trilha tem 5 entradas, cada uma com um nível de “dificuldade” diferente. Nós fomos para uma das mais difíceis, porque, né, somos nós! Deixamos o carro no Aeroporto de Monte Verde (curiosidade: o aeroporto mais alto do Brasil – e provavelmente o menor rs) e fomos até a entrada (nº 4). Nela tinha uma placa falando que precisaríamos andar só 800m até o Pinheiro, então resolvemos seguir… Após 10 minutos de descida tranquila, começamos a escorregar (estava chovendo novamente) e ficamos com medo de continuar. Pra ajudar eu estava de bota e o Gui com um tênis nada apropriado para o momento, então demos meia volta e desistimos de mais uma trilha!

Resolvemos passear na cidade já que a chuva havia dado uma trégua e vimos uma das entradas para a mesma trilha na rua principal, a Avenida Monte Verde. A placa dizia que eram apenas 236 metros até o Pinheiro, então resolvemos arriscar.

Trilha do Pinheiro Velho
Imagem via: Por Viagens Melhores

A única parte “difícil” da trilha foi o começo, que tivemos que atravessar um tronco partido ao meio em cima de um rio, mas de resto foi tranquilo e finalmente conseguimos completar uma trilha!!! Aqui algumas fotos:

trilhadopinheiro2 trilhadopinheiro1

trilhadopinheiro3

Resumindo, a viagem não ocorreu como planejado, várias coisas deram errado e não causei uma boa primeira impressão de Monte Verde para o Gui – acho que é um lugar que ele não vai querer voltar tão cedo… Porém, o maior e melhor ponto positivo de tudo foi que EU FUI PEDIDA EM CASAMENTO!

noiva1

Pois é, apesar dos pesares, o Gui achou que era o momento certo de fazer esse pedido e conseguiu transformar a catástrofe da viagem em a viagem mais especial de todas! Agora sou noivinha!!! Aguardem posts sobre casamento muito em breve, porque eu já tenho várias coisas guardada por aqui hahahaha

noiva2

Espero que tenha gostado do post e das dicas! Se for para Monte Verde, planeje melhor do que nós, faça as trilhas corretas e dê sorte de fazer sol. Consulte também o guia da cidade que tem diversas dicas :)


  • Babi Lorentz

    Em 26.05.2016

    Gente, que lugar maravilhoso! Pelo que voce falou, mesmo com as coisas dando errado, fiquei com uma impressão bem legal do lugar e agora tenho vontade de conhecer também, mas vou esperar ter a companhia certa porque pelo visto a cidade tem mesmo um ar bem romântico!
    Parabéns de novo pelo noivado, já sabe que na hora que vi fiquei toda feliz por você, né? E quanto ao resto eu já falei, hahahaha. Com certeza estarei aí no dia do casamento.
    Beijo! :**

    [Responder]

  • eliane cruz nunes

    Em 26.05.2016

    sua viagem foi maravilhosa muito divertida e bem aproveitada eu gostei muito apesar dos contra tempos eu fui para monte verde em dezembro depois do natal tambem estava chovendo e decidi nao ariscar passeios radicais mais valeu a pena curti a cidade a pousada e tudo de bom que monte verde que eu amo acho um lugar lindomais pretendo voltar e fazer tudo que nao deu tchau um abraco ate a proxima

    [Responder]

  • Laura Nolasco

    Em 26.05.2016

    Primeiramente, parabéns pelo noivado!
    Vim pra esse post pelo da TAG do BOAA e amei… sou de Minas e louca pra conhecer Monte Verde, acho super ideal assim pra viagem em casal mesmo… Acho que mesmo com tantos imprevistos sua viagem foi incrível né?
    Beijos!

    [Responder]

    Juh Claro:

    Obrigada, Laura!
    Poxa, você mora em Minas e nunca foi? Tem que ir sim, é lindo demais! :)

    Beijos.

    [Responder]

MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Seleção de Livros! Clique e confira.