Resenha: 2083 – Vicente Muñoz Puelles

Em 09.04.2013   Categoria: Resenhas

2083
Autor: Vicente Muñoz Puelles
Editora: Biruta
Páginas: 136
Nota: ★★★★☆

Sinopse: O fim dos livros de papel e tinta está próximo. Restarão poucos exemplares: as antiguidades valiosas ou as relíquias de família.

Verdade? Ilusão? Fantasia?

Imagine-se agora em 2083 e surpreenda-se: o livro eletrônico também não existe mais. O que restou das histórias e dos autores que admiramos? Desapareceram sem deixar vestígios? Não! Seria impossível destruir os textos que nos emocionaram, que nos fizeram viver melhor e nos tornaram mais humanos.

Não se desespere, todos sobreviveram e você poderá conhecê-los bem perto, numa viagem de turismo… no modo amplificador de inteligência. Embarque na bibliotravel.
 

Em uma época que os livros físicos estão sendo substituídos por livros digitais, mas que ainda tem pessoas resistes, é fácil não imaginá-los extintos. Mas será que em 2083 alguém ainda guardará esses livros em papel consigo? O que será da sociedade sem segurar um livro em mãos e conhecer suas histórias?

Em 2083 somos apresentados a David, um garoto de 16 anos, que, como os outros, estuda em casa e tem um cachorro robô, Nove, mas tem sua curiosidade desperta após assistir a uma reportagem sobre a descoberta de um local que antigamente guardava livros. Ele começa a questionar Pa sobre a existência desses livros e qual o seu objetivo, se interessando cada vez mais e querendo ter a oportunidade de ler algo. Ele descobre que seu bisavô, Félix Valdés, escreveu um livro, “A ilha dos livros perdidos”, e ele está guardado em sua casa, em uma urna, protegido por conta do tempo, para não se desintegrar. Pa não deixa que ele o leia, mas a curiosidade é tanta que David tenta abrir o livro, mas o que encontra é pó.

Ele fica ainda mais desesperado para encontrar outro exemplar do livro de seu bisavô e por essa razão vai até a Docuteca, local onde estão guardados alguns livros e mídias diversas. Ele tenta acessar o livro de seu bisavô, porém é informado que ele está perdido e não se encontra mais na Docuteca. Frustrado, David volta para casa e tenta procurar outros livros para ler na Cosmonet.

Porém, algo mais interessante que ler esses livros no computador, é a experiência que o local em que seu pai trabalha oferece: a Bibliotravel é capaz de levar você a viajar no interior do livro, sendo um dos personagens principais, secundários ou apenas um figurante. Fascinado com essa ideia, David pede a seu pai que o leve para conhecer algum livro, tendo que prometer que não irá parar de ler, e o primeiro que ele deseja conhecer, após ler o catálogo de opções, é a Bíblia.

Preciso confessar que eu daria tudo para estar no lugar de David para conhecer a Bibliotravel. Claro que a Bíblia seria minha última escolha, mas uma das escolhas de David é Dom Quixote, o que me deixou morrendo de vontade de entrar na trama e conhecer esse cavaleiro maluco e sua paixão por Dulcineia. Mas arrisco dizer que a melhor escolha de David tenha sido Primeiro Amor, onde ele tem o primeiro contato com um amor, mesmo que não tão real assim.

Imagine que sensacional você entrar no corpo da Hermione Granger? Ou Harry Potter ou Annabeth ou Percy Jackson… Sei lá, qualquer um! Uma experiência única, mas que eu não trocaria pela minha leitura “real” nunca. O legal é que David consegue mudar o rumo da história, inventar novos personagens, mas sem alterar a história real para o próximo viajante.

Como todos os livros da Editora Biruta, esse é lindo, com uma diagramação impecável e um diferencial muito legal: QR codes em todo início de capítulo, para nos imaginarmos ainda mais próximos do ano 2083. Eles trazem os títulos dos capítulos (eu acho que poderia ter sido aproveitado algo a mais nisso, ao invés de só aparecer o título, como acessar alguma página da internet) e do livro, só para ter um diferencial mesmo. A narração é ótima, em primeira pessoa, e flui rapidamente.

Recomendado aos apaixonados por leitura!


  • Isa

    Em 09.04.2013

    Eu vi na Saraiva e não botei muita fé, estava esperando alguém fazer resenha pra ver se não era meio bobo hahahaha Vou colocar na lista dos próximos pra comprar!

    [Responder]

  • Babi Lorentz

    Em 09.04.2013

    Juh, que bom que você gostou do livro.
    Enquanto eu lia, ficava pensando exatamente em como deve ser entrar num livro como um personagem e poder participar da história.
    Imagine só, poder viver tudo aquilo que nossos personagens preferidos viveram nas páginas dos livros que gostamos tanto! Nossa, eu fiquei encantada demais com essa história.
    Super linda mesmo!
    Beijos.

    [Responder]

  • Gladys Sena

    Em 09.04.2013

    Também escolheria a Bíblia, pois ela tem uma importância muito grande em minha vida!

    [Responder]