Resenha: Ainda Não Te Disse Nada – Maurício Gomyde

Em 21.02.2012   Categoria: Resenhas

Ainda Não Te Disse Nada
Autor: Maurício Gomyde
Editora: Porto 71
Páginas: 236
Nota: ♥♥♥♥♥

 
Sinopse: “Ninguém mais escreve cartas hoje em dia”, ela pensava. Até que um dia uma caiu em suas mãos e mudou o rumo de sua vida. Levou-a ao lugar que sempre sonhou. E a conhecer o amor do jeito que nunca imaginou, da forma mais improvável do mundo…
 
 
 

 

Já tinha me encantado pela escrita do Maurício em sua outra obra, O Mundo de Vidro, e quando lia as resenhas dessa outra obra dizendo que ele havia se superado e trazido uma história mais linda ainda, não coloquei tanta expectativa, mas todos estavam certos. Ainda Não Te Disse Nada é lindo demais!

O livro nos conta a história de Marina Albertini, filha de italianos, natural de São Pedro da Serra e moradora da grande São Paulo. Estuda Moda e trabalha em uma agência dos Correios para pagar suas contas. Tem duas ótimas amigas, Francesca e Thaís, uma colega de trabalho muito amável, Dona Jane, e uma paixão gigantesca por Paris.

Narrado em terceira pessoa com o foco em Marina, é impressionante com o Maurício conseguiu escrever e descrever tão bem sentimentos, ações e visões de uma personagem feminina – cá entre nós que não é tão fácil assim saber como funciona uma cabeça feminina, não é? Mas, dentro do possível, o autor conseguiu fazer isso muito bem, tornando a história fácil de ser envolvente com os leitores.

A vida de Marina é como de qualquer estudante: trabalha para se bancar, estuda para se formar e ter um emprego bom e não tem muito tempo para a vida social. Todos os dias antes de ir para a faculdade ela passa em uma livraria onde troca poucas palavras com Seu Patrício, pega sua bebida e vai correndo para a aula, onde é paquerada pelo professor que todas as meninas – menos ela, deseja, o Luca. Mas um dia sua vida começa a mudar. Lá nos Correios, ela e Dona Jane percebem que uma menina ruiva posta cartas escritas à mão e ambas se surpreendem com isso, já que é algo incomum nos dias de hoje. É em uma das idas à livraria que Marina encontra a menina ruiva e decide pergurtar porque ela envia cartas à mão ao invés de trocar emails.

A ruiva parecia feliz por ter despertado a curiosidade.
– Eu tenho um negócio pequeno na internet. Um site chamado “O Anjo Carteiro”… Faço do meu trabalho o que muitas pessoas evitam. Ou porque não têm tempo… Ou porque não querem mesmo.
– Qual trabalho?
– Já ouviu falar em ghost-writter?
– Hum… Já. Aquele esquema de o autor contratar alguém para escrever por ele, né?
– É mais ou menos isso, com menos glamour e mais paixão. O mesmo profissionalismo – arregalou os olhos azuis.
– Pedem pra você escrever cartas, então.
– Em linhas gerais, é por aí. Pagam pra que eu escreva. E finjo ser a pessoa que me pedem que seja.

O que não estava nos planos de Marina após conversar com a ruiva, era tomar o seu lugar depois que ela faleceu. Sim, Marina continua o trabalho de Julia (a ruiva), se correspondendo com Heitor, um senhor que está em uma casa de repouso em Porto, Portugal, se passando pela “amada eterna” dele, trocando correspondências e acendendo algo dentro dela que ela nem imaginava que existia. Conforme as cartas vão e chegam, Marina começa a responder como se fosse ela mesma e não mais a pessoa que ela estava fingindo ser e é aí que está a melhor parte da história.

Vou confessar que no meio do livro já imaginava o que aconteceria, mas ainda fiquei na dúvida quando fui chegando aos últimos capítulos – porém fiquei feliz em saer que eu adivinhei certo e adorei o desfecho dessa história linda e cativante.

Recomendadíssimo a todos que querem se apaixonar da forma mais inesperada. E eu vou dar uma chance a vocês para conhecerem essa história, aguardem!


  • Marla

    Em 21.02.2012

    Ainda não li esse livro, mas todas as resenhas que li, me passaram uma boa impressão.
    *bye*

    [Responder]