Resenha: As Brumas de Avalon #1 – Marion Zimmer Bradley

Em 07.02.2012   Categoria: Resenhas

As Brumas de Avalon (A Senhora da Magia) – The Mists of Avalon (Mistress of Magic)
Autora: Marion Zimmer Bradley
Editora: Imago
Páginas: 248
Nota: ♥♥♥♥♥

Sinopse: Neste enorme e emocionante romance, a lenda do rei Artur é contada pela primeira vez através das vidas, das visões e da percepção das mulheres que nela tiveram um papel central. Igraine, Viviane, Guinevere, Morgana. Elas revelam, com as suas vidas e sentimentos,a lenda de Artur, como se fosse nova de, ao mesmo tempo, levam o leitor a integrar-se na história, de maneira natural e profunda. Assim, esta obra proporciona uma narrativa soberba de uma lenda, e a recriação dessa lenda, bem como a brilhante contribuição para a literatura do ciclo arturiano.

Exatamente 2 meses de leitura. Não tenho nem ideia de como ficará essa resenha, mas vou me esforçar…
 

Não vou mentir que a leitura foi difícil. Talvez pela história ser basicamente sobre religião ou talvez pela escrita ser antiga ou talvez pela a história em si não ser nada animada e me dar sono nas cinco primeiras linhas. Levei exatamente dois meses para terminar de ler e com muito esforço, porque eu realmente começava a abrir a boca logo na quando retomava a leitura.

MAS não posso ignorar que é uma boa história e a Marion fez um belo trabalho retratando toda a história do Rei Artur pelo “backstage”, do lado das mulheres.

A história é narrada em terceira pessoa com algumas partes faladas por Morgana. Começamos conhecendo Igraine, duquesa da Cornualha, casada com o Duque Gorlois, com quem tem uma filha – Morgana. Igraine é da linhagem real de Avalon – a ilha sagrada composta por druidas e deusas. Viviane, irmã de Igraine, é a Senhora do Lago e está sempre em companhia de seu pai, Merlin. Juntos eles tem que fazer com que Igraine junte-se ao futuro rei e dê-lhe um herdeiro, já que o atual rei, Ambrósio, está em seus últimos dias. Para isso, lançam-lhe um encantamento e fazem com que ela se apaixone por Uther Pendragon logo de cara – e vice-versa.

O que se segue é muito ciúmes da parte de Gorlois e relutância de Igraine. Logo Gorlois também deixa o mundo e Igraine está “livre” para se casar com Uther, com quem tem um filho, Gwydion (ou Artur, como é chamado mais tarde) e que é afastado do reino para ser criado com pessoas “comuns”, já que corre perigo por conta da própria tia, Morgause. Enquanto Artur passa a viver com uma família de cristãos, Morgana vai para Avalon ser uma sacerdotisa e aí a história começa a girar em torno dela – e de Artur.

Igraine me cativou nos primeiros capítulos, adorava ela querer Uther acima de tudo ao invés do velho e ignorante Gorlois, mas depois que ela conseguiu o que queria, ficou cega pelo amor e nem atenção aos filhos ela dava – muito menos a Avalon, virou uma cristã de carteirinha.

A história ficou interessante nos últimos capítulos, quando Artur é anunciado rei, após seu pai falecer. Tem muita coisa por trás disso que eu não posso contar senão estraga o clímax do livro (e a única parte importante/interessante, na minha opinião), mas até que serviu para dar um clima de aventurazinha para a história.

Espero que os próximos volumes sejam melhores, porque muita gente fala bem dessa série, mas não me surpreendi nem um pouco.


  • thanny

    Em 07.02.2012

    Nunca tive vontade de ler essa série e como acho que nossos gostos são parecidos, melhor continuar sem ler. Espero que a sequência seja melhor para você.

    Beijos,
    whosthanny.com

    [Responder]

    Juh Claro:

    É, se você não tinha vontade e leu minha resenha, com certeza vai continuar sem vontade HAUSHASUAHA É uma boa história, mas não acho que seja uma leitura “obrigatória”, entende?

    ;*

    [Responder]

  • Endriu

    Em 07.02.2012

    Me ajudou pacas! ótimo texto…

    [Responder]