Resenha: As Vantagens de Ser Invisível – Stephen Chbosky

Em 27.02.2013   Categoria: Resenhas

As Vantagens de Ser Invisível – The Perks of Being a Wallflower
Autor: Stephen Chbosky
Editora: Rocco
Páginas: 223
Nota: ★★★★★

Sinopse: Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe – a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.
As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir “infinito” ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.
Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.

 

Faz um bom tempo que eu queria ler esse livro, mas como a minha pilha de leitura está enorme, não quis comprá-lo – até que uma das minhas melhores amigas me presenteou de surpresa na faculdade com ele na 5ª feira passada. Sim, passei ele na frente de todos e li no final de semana. Eu não sabia muito bem o que esperar porque se li duas resenhas dele foi muito, eu só sabia que todo mundo adorava a história e eu acabei esperando demais… Mas não me decepcionei, ainda bem.

Em As Vantagens de Ser Invisível conhecemos Charlie, um garoto solitário e estudante do ensino médio que se vê totalmente perdido após o anúncio pelos alto falantes da escola sobre a morte de seu único melhor amigo Michael – que cometeu suicídio. A história começa aí, depois da morte de Michael e a solidão de Charlie, quando ele decide começar a escrever cartas para o amigo de uma garota que ela julga ser legal – e ele conta tudo nas cartas, somente mudando os nomes das pessoas para não ter problemas.

Inclusive, nem sei ao certo se o nome dele é Charlie – e nem sei para quem ele envia as cartas, o que me deixou esperando por um segundo livro, até ver que este foi lançado em 1999 (uau!) e talvez minhas chances sejam zero.

Além da solidão na escola, Charlie se vê sozinho também em casa – seu irmão foi para a Penn State estudar e jogar futebol americano e sua irmã está muito ocupada com o namorado – não que eles se falem muito, mas né. Porém, durante um jogo de futebol da sua escola, Charlie conhece Patrick, aluno do último ano, mas que tem uma das aulas na mesma sala de Charlie e Sam, meia-irmã de Patrick por quem Charlie tem aquele “amor à primeira vista”. Apesar dessa paixonite, ele mantem uma amizade com ambos que vai crescendo a cada dia e vai fazendo com que Charlie se enturme com pessoas que ele não tinha ideia que poderiam ser suas amigas, mas que se tornam especiais para ele.

Ao longo das cartas, vemos um Charlie aprendendo a crescer, entrando na onda do “sexo, drogas e rock n’ roll”, conhecendo outras pessoas, lidando com a sua irmã e a ausência de seu irmão, conhecemos sua família, sua história com a tia Helen, já falecida e a aproximação dele ao professor Bill, que enxerga toda a inteligência de Charlie e sempre está emprestando livros para ele ler, “participar” e escrever um trabalho sobre.

Algo que eu gostei MUITO foram as referências de livros, filmes, músicas e bandas – me peguei abrindo Youtube, IMBD e até o Skoob para saber mais de muitos deles. Amei todas as referências aos Beatles, apesar de The Smiths ser o favorito de Charlie.

Preciso desesperadamente assistir ao filme agora e ver se consigo gostar ainda mais da história – acho que será meio difícil não gostar tendo Percy Jackson e Hermione Granger… haha


  • Nathália Fanti

    Em 27.02.2013

    Eu já li tantas resenhas sobre esse livro, muito chato só eu que não li ele :( Ele parece ser muito bom e a capa é linda, mas para falar a verdade conheci o livro por causa do filme…

    Beijos

    [Responder]

  • Isa

    Em 27.02.2013

    Não aguentei de curiosidade e acabei vendo o filme primeiro. Chorei horrores e entrou pra lista dos preferidos! Quero ler o livro pra ver se tem mais algum detalhe lindo pra me fazer amar mais ainda essa história <3

    [Responder]

  • kelry caroline

    Em 27.02.2013

    Tô louca pra ler esse livro, ainda mais por causa do filme!

    [Responder]

  • Babi Lorentz

    Em 27.02.2013

    Acho engraçado um livro lançado em 1999 só vir a fazer sucesso agora, mas não julgo de forma ruim. Gostaria que meu livro de 2011 fizesse sucesso em alguma época de nossas vidas, hahaha.
    Enfim, continuo com a mesma ideia de As Vantagens de ser Invisível e continuo com a ideia fixa na cabeça de que eu não sei o que estou fazendo que não saí correndo para comprar. Acho que vou aproveitar o Kindle e comprar em ebook, dependendo do preço, pra ler quando chegar em NY.
    Beijos.

    [Responder]

    Juh Claro:

    Compre siiiim, você vai gostar bastante, de verdade :) mesmo que seja em ebook!
    Beijos.

    [Responder]

  • Lygia

    Em 27.02.2013

    Esse livro é LINDO, muito amor! <3

    O fato de ser narrado através de cartas, dá um plus pra história, adoro!

    Beijo grande e boa semana!
    Lygia – Brincando com Livros

    [Responder]