Resenha: Diário de Uma Paixão – Nicholas Sparks

Em 28.02.2012   Categoria: Resenhas

Diário de Uma Paixão – The Notebook
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
Páginas: 244
Nota: ♥♥♥♥

Sinopse: “Não sou nada especial; disso estou certo. Sou um homem comum, com pensamentos comuns, e vivi uma vida comum. Não há monumentos dedicados a mim e o meu nome em breve será esquecido, mas amei outra pessoa com toda a minha alma e coração e, para mim, isso sempre bastou.” Noah Calhoun Assim tem início uma das mais emocionantes e intensas histórias de amor que você lerá na vida… O livro é o retrato de uma relação rara e bela, que resistiu ao teste do tempo e das circunstâncias. Com um encanto que raramente é encontrado na literatura atual, O Diário de uma Paixão de Nicholas Sparks, o consagra como um contador de histórias clássicas, com uma perspectiva excepcional sobre a mais importante e única emoção que nos mantém.
 

 

Terceiro livro que leio do Nicholas Sparks e o segundo que mais me encantou (A Última Música ainda é meu preferido). Acredito que todos conheçam a história, mesmo sem ter lido o livro ou assistido ao filme, mas mesmo assim vou falar dela para poder montar minha resenha.

Diário de Uma Paixão conta a história de Noah Calhoun, um senhor que todos os dias vai ao quarto de Allisson Nelson ler uma história que está escrita em um diário. Allisson não se lembra de quase nada e tem dias que nem sabe quem é ou qual seu nome ou onde está, mas Noah tenta acalmá-la sempre e na maioria das vezes consegue. Ele tenta passar todos os momentos possíveis ao lado dela e adora os dias em que ela consegue se lembrar de algo, mesmo que seja algo não muito importante.

A história que Noah conta para ela na verdade é a história dos dois, quando eram mais jovens e se apaixonaram durante o verão em Nova Berna, cidade em que Noah mora. Eles se apaixonam perdidamente (oi, é Sparks!), mas precisam romper o relacionamento assim que a mãe de Allie descobre sobre o “namoro”. A questão é que Allie é de família rica e Noah apenas um garoto que mora em uma cidadezinha, mas com um enorme coração. Allie volta para casa e Noah passa dois anos escrevendo cartas para ela, sem nunca receber uma resposta sequer.

Passados 11 anos, Noah ainda se pega pensando em Allie, mas tenta se manter ocupado o tempo todo para tirá-la de seu pensamento – o que não adianta muito. Ele comprou uma casa que sempre foi o seu sonho e passa o dia inteiro reformando-a e fazendo ajustes aqui e ali. É por causa dessa casa que Allie resolve voltar à Nova Berna para reencontrar Noah, sem ter muita certeza do que fará/falará quando vê-lo, mas descobre logo que se reencontram.

Tudo parece lindo e maravilhoso, mas um grande obstáculo separa os dois de se apaixonarem novamente (apesar de ainda estarem apaixonados): Allie está noiva de Lon, já com casamento marcado e tudo. Mas e agora que ela reencontrou Noah, será que Lon é realmente um obstáculo?

Depois de tantos anos se passarem, Noah ainda é apaixonado por Allie e tenta fazer com que ela se apaixone por ela lendo a história da juventude dos dois todos os dias na casa de repouso, não desistindo nunca de tentar fazê-la lembrar de algo que os dois passaram juntos. É incrível ver a paixão de Noah pela amada e sua tentativa de sempre animá-la, lendo o diário e sendo seu “admirador secreto”. É um amor sem barreiras que serve de lição para muitos de nós que achamos que o amor não é verdadeiro ou que tem muitos empecilhos.

O que mais me cativou na história – e me vi derramando lágrimas no livro muitas vezes, foi a doença de Allie (acho que isso não é um spoiler, né?), o maldito de Alzheimer. Minha avó faleceu há 1 ano e meio por conta dessa doença maldita e meu avô também é “portador” dela. Antes dele ficar doente, largou tudo para ficar com a minha avó em casa, cuidando dela, e foi isso que o fez também ficar assim, porque antes ele era um homem trabalhor (apesar de aposentado) e sempre andando por aí, o que hoje é impossível fazer sozinho. Só quem tem alguém próximo com essa doença sabe como ela é terrível e eu choro todos os dias que vou visitar meu avô em sua casa, é de cortar o coração.

Apesar de tudo, gostei do Sparks ter retratado essa situação tão delicada e me feito lembrar de meus avós a cada página.

Sobre o filme, não o assisti inteiro até hoje, só vi algumas partes quando passava em algum canal, mas vou procurar assistir assim que possível, porque sei que ele foca mais em outro lado da história e quero ver se vou gostar também.


  • Flavinha

    Em 28.02.2012

    Oi Juh!

    Fiquei meio com o pé atras com os livros no Nicholas depois que li Querido John. Apesar de gostar de romances achei que ele se estendeu demais em algumas partes, enfim achei boring rs

    Obrigada pela visitinha no blog, adorei seu layout, bem delicadinho =)

    Beijinhos

    [Responder]

  • Gabi

    Em 28.02.2012

    É o meu livro favorito justamente por ele tratar da doença (e também do romance) da Allie e do Noah com tamanha delicadeza. Eu adoro, chorei lendo o livro e vendo o filme. Não tenho pessoas próximas a mim com a doença, mas imagino como deva ser difícil =(
    Beijos.

    [Responder]

  • thanny

    Em 28.02.2012

    Amo o filme e espero gostar do livro, já li várias resenhas de leitores decepcionados e espero que não aconteça o mesmo. Quando me identifico com a história, acho muito mais fácil de gostar, porque meio que marca a gente, como no caso, essa relação com os seus avós :( Corra pra ver o filme porque é uma perfeição!

    Beijos,
    whosthanny.com

    [Responder]