Resenha: Footloose – Rudy Josephs

Em 03.04.2012   Categoria: Resenhas

Footloose
Autora: Rudy Josephs
Editora: Galera Record
Páginas: 240
Nota: ★★★★★

Sinopse: Quando Ren, saído de Boston, se muda para uma pequena cidade no interior dos Estados Unidos, enfrenta um intenso choque cultural. Em Bomont, a diversão é proibida: nada de ficar fora de casa até tarde; festas, sem chance; o rock é banido e simplesmente esqueça sair para dançar. Agora ele está engajado em uma causa simples: fazer com que todos possam se divertir! Daqueles que não desistem com facilidade, Ren desafia a ordem local enquanto luta para chamar a atenção de Ariel, a bela e atraente filha do reverendo Shaw Moore.
 

 

Primeiramente: se você nunca ouviu falar de “Footloose”, seja da música, filme, história ou livro, gostaria de saber em que planeta você vive.

Sempre gostei muito de histórias nesse estilo. Consigo facilmente comparar Footloose com o filme mais recente, Hairspray (sim, aquele do John Travolta fazendo papel de mãe), já que em ambos a luta e o assunto principal é: liberdade de expressão através da dança.

Footloose nos traz a história de dois jovens diferentes, Ariel Moore e Ren McComarc. Os primeiros capítulos (até a metade, mais ou menos) são alternados, um contando sobre a vida de Ariel desde o acidente fatal em que seu irmão estava envolvido e fez com que as leis na pequena cidade de Bomont fossem alteradas. A principal e pior delas: não é mais permitido dançar em público ou ouvir música alta.

Ren é um jovem de 17 anos, ex-morador de Boston, que perdeu a mãe há poucos meses e tem que se mudar para a casa dos tios em Bomont. Ele descobre das piores maneiras as leis dessa cidade pequena e aparentemente antiga e quando conhece Ariel e descobrem que os dois tem em comum a paixão pela música e dança, resolve criar planos para fazer com que a lei seja revogda. Um dos problemas: um dos membros do Conselho é o Reverendo Shaw, querido por todos na cidade e também pai de Ariel – por quem ela tem que se passar por “boa moça”, sendo que no fundo é uma menina mais do que rebelde.

É engraçado ler o “contrário”: um livro adaptado de um filme, mas gostei muito da adaptação e a Rudy conseguiu colocar praticamente tudo da história cinematográfica no papel. O mais importante é percebermos como precisamos de pouco para podermos nos divertir e como a igreja tem um certo poder sobre a sociedade (sem ser exatamente criticada nas páginas do livro).

Ren é um personagem apaixonante, que sabe o que quer e vai atrás disso, sem desistir. Ariel me dava nos nervos às vezes por ser tão rebeldezinha e burra, mas ela me conquistou nas últimas páginas. Os outros personagens são quase esquecidos, mas as priminhas de Ren são uns amores e os amigos de Ren são engraçados da forma deles.

Agora preciso assistir ao remake pra ver se ficou tão bom quanto a versão original, que é um clássico.