Resenha: Melancia – Marian Keyes

Em 03.11.2011   Categoria: Resenhas

Melancia – Watermelon
Autora: Marian Keyes
Editora: Edições BestBolso (original da Bertrand Brasil)
Páginas: 498
Nota: ♥♥♥♥♥

Sinopse: Com este romance engraçadíssimo e irreverente, a autora irlandesa Marian Keyes conquistou milhares de leitores no Brasil e no mundo. A protagonista Claire tem 29 anos, uma filha recém-nascida e um marido que acabou de confessar o seu caso de mais de seis meses com a vizinha também casada. Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e muita depressão, bebedeira e choro. Mas ela decide avaliar os prós e contras de um casamento desfeito depois de três anos e quando começa a se sentir melhor, o ex-marido reaparece para convencê-la a assumir a culpa por tê-lo jogado nos braços de outra. Claire vai recebê-lo, no entanto reservará uma bela surpresa para o ex.

 

Marian, minha querida escritora favorita de chick-lits, como eu estava ansiosa para ler esse livro! Conheci a Marian Keyes quando ganhei “Um Bestseller para Chamar de Meu” de duas amigas que queriam me incentivar a escrever o meu livro e tive a oportunidade de ler “Tem Alguém Aí?” e me apaixonar ainda mais pela história e pela escrita da Marian, que é sensacional. Logo comprei “Melancia” e “Férias!” para continuar lendo essas maravilhas.

Quando comecei Melancia, já não via a hora de terminar. Queria poder ter devorado o livro de uma vez, mas não foi possível, claro, e eu demorei mais de duas semanas pra terminá-lo. Não me arrependi pela demora, porque a leitura vale muito. Precisava ler o primeiro livro dela pra saber como a história se desenrola direitinho.

Em Melancia conhecemos a história de Claire Walsh, uma jovem irlandesa de 29 anos que mora em Londres e que acabou de dar a luz à querida Kate, fruto de um casamento maravilhoso de Claire com James. Maravilhoso era o que ela pensava, até o queridinho confessar que mantinha um caso com a vizinha deles há 6 meses. Claire está desamparada e em depressão e decide correr para a casa dos pais na Irlanda.

Chegando na Irlanda, conhecemos a “mamãe Walsh”, o pai de Claire e duas de suas irmãs: Anna e Helen (ainda tem mais duas, Rachel que mora na Inglaterra e Maggie). Mesmo com a nossa protagonista sofrendo pelo abandono do marido e por estar totalmente em depressão, conseguimos rir de algumas situações. Helen é muito engraçada e Anna é doidona, então as risadas ficam por conta delas.

O início do livro é meio monótono e dá vontade de dar um tapa na cabeça da Claire e mandar ela sair da cama, tomar um banho e se jogar na vida de novo. Ela ficou muito tempo trancada, sem querer saber de nada e sendo ignorante com todos. Mas quando ela resolve levantar e tomar um banho, tudo já começa a melhorar, tanto na leitura quanto na própria história. É hora do senhor charmoso aparecer: Adam, amigo de Helen (um dos milhares que ela fisga na faculdade para conseguir algum favor) que visita a casa dos Walsh logo na noite em que Claire decide fazer o jantar (eles só comem comidas congeladas porque mamãe Walsh é um desastre na cozinha).

Não é spoiler se eu contar que rola um romance de leve entre os dois, né? Então tá bom. Isso estava na cara na hora que ele apareceu na porta da casa deles. E Claire gosta de sua companhia, mesmo como amiga, porque ele faz com que ela saia de casa, ande pela cidade e ainda adora Kate – além de fazer com que ela se sinta linda e desejada.

Quando tudo estava indo bem, uma ligação inesperada confunde totalmente a cabeça de Claire: James. Aquele que ela nem pensava mais, já que o lance com Adam estava bem legal. O que será que essa mãe toda chorona resolverá fazer? Vai terminar de vez com James? Vai voltar com ele? Vai pensar em Adam e continuar o lance com ele? Só chegando nas cinco últimas páginas que dá para saber!

Apesar do final ser meio clichê (oras, é um chick-lit, no final das contas) e eu ter imaginado que seria assim desde o começo, foi fofo. Tem horas que você imagina que poderia ter acabado de um jeito inesperado, mas na verdade não, Marian só tentou nos enganar.

Um quote de uma das mil partes que eu dei risada:

“Pela primeira vez em meses, meu reflexo parecia normal. Não parecia uma melancia com pernas, porque não estava mais enorme de grávida nem gorda como uma idiota. E não parecia alguma fugitiva de um asilo de loucos, com o cabelo sem pentear, uma camisola imensa e um aspecto perturbado.”

Concluindo? Quem ainda não experimentou uma leitura tão deliciosa quanto a da Marian, não sei o que está esperando! Corre lá pra comprar as edições BestBolso que saem mais em conta :) Ou aproveitem a promoção nas Lojas Americanas com os livros por R$19,90 cada! Só clicar aqui.


Comentando nesse post você tem uma chance extra na promoção Mês das Crianças.


  • Babi Lorentz

    Em 03.11.2011

    Melancia foi o primeiro livro que li da Marian.
    Depois pude ler Sushi (não gostei) e Tem Alguém Aí? (um dos melhores que já li). Pretendo ler todos, lógico, e espero que o próximo seja Férias :D

    Concordo com as coisas que você disse. O início é monótono e a única vontade que eu tinha era de dar um tapa na cabeça da Clare (tipo, porra, sonsa, acorda pra vida, mulher!). Hahahahaha.

    Beijão

    [Responder]

  • thanny

    Em 03.11.2011

    Oi, Juh!

    Você já começou a escrever seu livro? *-*
    Nunca li nada da Marian, mas nunca tive muita vontade de ler Melancia… mesmo com uma resenha dizendo que eu devo correr para ler. Você já leu todos da autora? Qual o melhor na sua opinião?

    Beijos!

    [Responder]