Resenha: Primavera – Oskar Luts

Em 20.08.2014   Categoria: Resenhas

primavera Primavera é o primeiro e mais famoso título de Oskar Luts, autor estoniano, publicado em 1912. O livro é um clássico e muito presente na matriz curricular da Estônia. Na época em que Luts estava escrevendo o livro, a Estônia ainda estava sob domínio soviético – sendo que a revolução da independência veio em 1917.

O livro narra a rotina de crianças que estudam em uma escola paroquial dirigida por um sacristão super chato exigente. Apesar de a maioria dos estudantes dormirem na escola, eles não são tão certinhos quanto o sacristão desejaria; e é sobre isso que o livro trata: descrever atrocidades infantis e o comportamento nada correto deles.

Nossos protagonistas são Arno Tali e Teele Raja, além de Toots, que é o revoltadinho da história: sempre se metendo em confusão e enganando os outros – totalmente o oposto de Arno, que é inocente (até demais) e tem um bom coração. Já Teele é aquela menina típica da época de 1900, que vem de família rica, ajuda em casa, estuda e aguarda por um pretendente. É claro que já dá para perceber que quem tem um carinho além do normal por Teele é nosso inocente Arno. Mas esse não é o propósito da trama; ela não é nem um pouco romântica.

Os acontecimentos ao longo do livro causam um certo desconforto ao leitor por conta do distanciamento do tipo de atividades “normais” entre as crianças da Estônia com as da atualidade no Brasil: eles brigam com tamanha violência de causar espanto, além de beber vodca como qualquer adulto ou andar com armas por aí. É preciso sempre relembrar que a história se passa em outra época em meio de uma cultura totalmente diferente da nossa.

Meu maior problema com essa leitura foi a falta de um clímax… De algo que envolvesse a história toda, um começo, meio e fim. Não sei explicar, mas o livro não conta algo, ele simplesmente narra o dia-a-dia do próprio autor na sua infância. Não é de todo ruim, mas para mim não funciona. Eu preciso de algo que me prenda, além da curiosidade por conhecer um país não tão conhecido.

Claro que o ponto positivo vai para as ilustrações maravilhosas de Sandra Jávera, assim como em todos os livros da Editora Biruta que já tive contato até hoje. Sempre dão um a mais para a história e facilitam a nossa imaginação.

Primavera – Kevade
Páginas: 432 Editora: Biruta Nota: ★★★☆☆
Mais informações: Site da Biruta.


  • Babi Lorentz

    Em 20.08.2014

    Nós conversamos sobre o livro na Bienal, então o que eu tinha que saber sobre ele, acabei descobrindo por você e pela Ana também. O fato de o livro ser um pouco parado faz com que o meu interesse por ele caia bastante apesar de eu achar a capa maravilhosa e ter babado, claro, na diagramação dele.
    Beijo, Xu!

    [Responder]

    Juh Claro:

    A capa é muito linda mesmo! E as ilustrações durante a história também. Mas é uma pena ser um pouco parado :/
    Beijo!

    [Responder]