Resenha: Surpreendente – Maurício Gomyde

Em 03.03.2016   Categoria: Resenhas

capa_surpreendente Ah, como eu adoro fazer resenha desse queridíssimo autor! Não é novidade para ninguém que acessa o blog o quanto eu sou fã do Maurício Gomyde e como acho incrível o notável crescimento dele ao longo dos livros publicados. Este é o 6º livro do autor, porém o 1º pela Editora Intrínseca – e preciso comentar que eu gostei muito dessa parceria: todo o trabalho de diagramação, design, estrutura, revisão e tudo mais está impecável. Espero que o contrato seja longo!

Surpreendente já começa nos surpreendendo: é um futuro da história sendo apresentado antes mesmo de conhecermos o enredo. O primeiro capítulo é rápido, mas deixa aquele pontinho de mistério e ansiedade para saber como as personagens chegaram lá.

Logo no segundo capítulo conhecemos Pedro Diniz, apaixonado por cinema desde pequeno, mais especificamente os filmes clássicos e tem como “missão” propagar esse interesse para todos. Como qualquer aspirante à cineasta, o sonho de Pedro é chegar até Hollywood, mas um empecilho em sua infância o fez duvidar de até onde poderia chegar: ele foi diagnosticado com uma doença em que a visão vai diminuindo aos poucos, até chegar à cegueira… MAS indo contra o que todos os médicos imaginavam, a degeneração dele acaba estacionando em 30%! Ou seja, Pedro tem 70% da visão e acredita que conseguirá seguir sua carreira de cineasta normalmente.

Enquanto Pedro sonha acordado, ele segue a vida trabalhando em uma videolocadora da periferia e cuidando de um cineclube em que passa só filmes clássicos e, mesmo sem muito público, tenta convencer a dona do local a deixa-lo aberto e não substitui-lo por uma boate. É no meio de um dos filmes que ele acaba conhecendo Cristal e fica louco pela ruiva. A forma como eles vão se conhecendo melhor é incrível e apaixonante, deixando a história um pouco mais romântica.

O foco de Pedro no momento é a produção de um filme para a universidade para poder ganhar um tão sonhado prêmio do cinema e durante o andamento do roteiro, algo acontece: um segredo e um problema acabam interferindo nessa produção, mas com o apoio dos amigos Fit, Mayla e Cristal, eles acabam indo para uma cidadezinha chamada Pirenópolis, em Goiás, a bordo de um Opala atrás de algumas respostas (porém não é bem isso que Pedro passa aos amigos – ele apenas diz que irá gravar o seu filme durante essa viagem).

As aventuras que eles vivem na viagem misturam drama, comédia e romance e não focam apenas no “problema” e segredo de Pedro, o que deixa tudo mais leve e flui de uma forma incrível. O desenrolar da história é muito bem escrito, mas na minha opinião poderia ter sido um pouco mais detalhado… Eu leria mais umas 200 páginas fácil fácil, então o desenrolar poderia ter sido feito de forma mais tranquila e não com tanta pressa. Os pontos seriam melhor definidos e explicados – esse é o único ponto negativo do livro, o que não é de todo ruim…

Eu ganhei esse livro de uma amiga querida, a Duda, que amou a história e se arrependeu de não ter lido algo do Mauricio antes. Então não vá na mesma onda dela e leia agora!!! hahaha Sei que sempre recomendo os livros dele, mas esse está realmente surpreendente e vale a pena ler.

Surpreendente
Páginas: 272 Editora: Intrínseca Nota: ★★★★☆


Resenha: Como Treinar o Seu Dragão – Cressida Cowell

Em 10.09.2014   Categoria: Resenhas

comotreinarseudragao Como Treinar o Seu Dragão é um livro que eu estava querendo ler há muito tempo, mas nunca tinha me deparado com uma promoção muito boa como a que eu encontrei há alguns meses. Acabei comprando logo 4 títulos de uma vez (esse, Como Ser Um Pirata, Como Falar Dragonês e Como Treinar O Seu Viking) e passei na frente de quase todos os meus livros para não deixar minha ressaca literária voltar.

Muita gente conhece a história por conta do filme (que eu tive a sorte de assistir pela TV no dia seguinte ao que eu terminei de ler o livro), mas eles não são muito parecidos não. Ambos são muito bons, mas o filme conseguiu ser um pouquinho melhor por conta da ação e romance acrescentado a ele. Mas não estou aqui para falar do filme e sim do livro.

Soluço é um garoto meio desajeitado e não tem muitas características de um viking, mas ele é filho de Stoico, líder da tribo, e ele tem que provar que merecer ser o herdeiro. Suas não habilidades são colocadas à prova junto às dos demais garotos da tribo no dia em que eles têm que ir ao Rochedo do Dragão Selvagem para capturar seus dragões e treiná-los. Quem não conseguir capturar algum dragão, será exilado da tribo.

Os dragões estão dormindo nessa época do ano (inverno), mas todo cuidado é pouco e os meninos têm que se esforçar para não fazer nada de errado lá dentro para não acordar nenhum deles e conseguirem sair cada um com o seu dragão. Apesar de ter achado que algo daria muito errado para Soluço e ter certeza de que ele não conseguiria nenhum dragão, ele acaba conseguindo, mas quando sai de lá e olha para o que tem dentro de sua cesta, fica desapontado: é o menor dragão que ele já viu na vida.

A vantagem ou não de Soluço é que ele fala dragonês, então consegue se comunicar com seu dragão, Banguela e forçá-lo a obedecê-lo. Sim, o apelido é por conta da falta de dentes do dragão. Conseguem entender todo o trauma de Soluço? Além de ter o menor dragão do mundo, ele ainda é banguela!

O livro é totalmente voltado para o público infantil, mas eu adorei, de verdade. Ele é repleto de ilustrações feitas pelo próprio Soluço, tem referências aos vikings “reais” e à mitologia nórdica. Apesar de ter criado uma expectativa muito alta antes de ler, gostei do que encontrei e quero poder ler o restante da série em breve, intercalando com as minhas outras leituras, já que essa é bem leve.

Como Treinar o Seu Dragão – How to Train Your Dragon
Páginas: 224 Editora: Intrínseca Nota: ★★★★★


Resenha: Como Eu Era Antes de Você – Jojo Moyes

Em 18.02.2014   Categoria: Resenhas

Como Eu Era Antes de Você

Como Eu Era Antes de Você é um romance dramático da autora Jojo Moyes e foi o meu primeiro contato com a escrita dela – que é ótima. Eu não tinha a menor ideia do que se tratava o livro (eu não leio sinopses – e também não tinha lido nenhuma resenha ainda), pelo nome pensei ser um romance daqueles que uma garota se apaixona por alguém e esse alguém morre e depois conhece outra pessoa, mas por conta do último desastre amoroso, muda totalmente e começa a contar como ela era antes de conhecer essa segunda pessoa… Bem, não estava totalmente errada, mas a forma como a personagem mudou não foi exatamente por conta do primeiro cara e sim do segundo.

A história começa sendo narrada por Will Traynor momentos antes de um acidente horrível que ele sofre enquanto vai ao trabalho; esse é o único capítulo narrado por ele, porque somos apresentados a Louisa Clark, assim que ela é demitida do café em que trabalha porque o seu chefe está se mudando. Louisa tem 26 anos, mora com seus pais, irmã (Treena), sobrinho e avô e a situação deles não é das melhores. Sua irmã trabalha em uma floricultura, seu pai em uma empresa que está prestes a fazer um grande corte de empregados e sua mãe tem que ficar em casa para cuidar de seu avô que sofreu um AVC. Com a demissão de Louisa, o pouco de dinheiro que a família tinha tende a diminuir, fazendo com que ela vá atrás de outro emprego o mais rápido possível. Mas como conseguir um bom emprego se ela não tem faculdade, não tem outra experiência sem ser o seu trabalho no café e não tem habilidade alguma?

Como Eu Era Antes de Você

Como vocês já imaginam, ela acaba indo trabalhar com Will – para Will, na verdade. Após o terrível acidente narrado na introdução do livro, ele ficou tetraplégico e agora vive em uma cadeira de rodas com movimentos do pescoço e um dos braços bem limitados. Apesar da experiência nula de Lou com tetraplégicos, o salário é muito alto e ela resolve dar uma chance a essa oportunidade. O papel de Lou é basicamente fazer companhia a Will, já que Nathan é responsável pelos cuidados médicos e higiene básica, mas fazer companhia a alguém que não quer companhia é bem complicado. Aos poucos Lou vai encontrando assuntos em comum com Will e as tardes que passa com ele tornam-se suportáveis. Nem todos os dias são bons dias e Lou entende um pouco o sofrimento de Will após perceber o jovem ativo que ele era.

Uma passagem do livro que me deixou bem revoltada foi quando o melhor amigo de Will e sua ex-namorada o visitam, após muito tempo, simplesmente para contar que vão se casar. É aí que vemos como uma pessoa quando sofre um acidente como esse não perde só o movimento das pernas, a independência para fazer coisas como ir ao banheiro ou tomar banho, ela perde grande parte de sua vida por conta das pessoas que se diziam próximas dela, não conseguem suportar e acabam se afastando – quem fica sozinha no final é a pessoa que já não tem quase nada e o que resta é tirado dela.

Como Eu Era Antes de Você

Quando achei que o livro ficaria na mesmice de Lou indo para a casa de Will tentando trocar algumas palavras com ele e com Nathan, Lou querendo desistir do emprego, Treena forçando-a a continuar e tudo mais, a irmã de Will vai visitá-lo e Lou ouve a maior gritaria dela com a mãe. Ao ouvir “sem querer” sobre o que elas estão falando, decide que vai mesmo pedir demissão: Will pretende se suicidar em seis meses. Isso mesmo, ele deu um prazo para seus pais e, quando esse prazo acabar, ele vai para a Suíça na clínica Dignitas (uma clínica real, que ajuda pessoas com doenças graves/terminais e etc, a darem um fim na dor, para sempre). Lou fica horrorizada e não quer fazer parte disso. Ao contar para a Sra. Traynor que não quer mais o emprego, ela implora para que Lou fique pelo menos até dar esses seis meses com Will, já que ela afirma que ele melhorou muito desde que Lou chegou na casa. Essa é uma das melhores conversas entre a Sra. Traynor e Lou, quando ela conta seus medos sobre perder seu filho.

Nós duas ficamos nos encarando.
– Sabe, você só pode ajudar alguém que aceita ajuda – disse ela.
E então ela se foi.

página 50.

Louisa então resolve ficar, mas não vai permitir que Will passe esses últimos meses trancado em casa lamentando a vida. Ela passa a montar programas para eles fazerem, uma ida a uma corrida de cavalos, passeios ao redor do castelo que fica na frente da casa de Will (e onde seu pai trabalha) e outros passeios que façam com que Will saia da porta de casa. Muitos dão errados, muitas vezes Lou pensa em desistir e Will não ajuda nem um pouco com o seu mau humor rotineiro. Porém, o que deu para perceber é que Will está mesmo um pouco mais alegre, fazendo piadas e rindo de Lou, o que pode ser um bom sinal.

Como Eu Era Antes de Você

A história vai caminhando com os relatos de Lou dos passeios que tenta fazer com Will, das recaídas dele, das brigas familiares (confesso ter vontade de bater na Treena em várias partes do livro) e também da sua vida amorosa – é, Lou namora um cara há 7 anos chamado Patrick e que Will vive caçoando-a por conta da obsessão dele por corridas e academia. As passagens de Lou com Patrick são bem chatinhas e eu não consigo entender como ela conseguiu ficar tanto tempo com uma pessoa tão idiota como ele. Mas essas partes chatinhas compensam os momentos em que Will aproveita para tirar uma com a cara de Lou.

– E daí? – Ele deu de ombros. – Escute, Clark, se for usar um vestido assim, tem que se sentir segura. É preciso vesti-lo mental e fisicamente.
– Só você, Will Traynor, para dizer a uma mulher como ela deve usar um maldito vestido.

página 146.

O final desse livro é algo que depende muito do ponto de vista do leitor. Eu sinceramente não gostei muito, mas consigo entender. É daqueles finais que você sabe que vai acontecer, mas que ainda tem uma esperança de que a autora vai mudar tudo e dar uma reviravolta nas poucas páginas que faltam para terminar o livro. Cada um pode tirar uma conclusão não só da forma como o livro foi finalizado, mas também sobre toda a história que é tratada nele.

Foi um livro que mexeu muito comigo, que me fez rir, chorar e jogá-lo longe, mas que no final foi uma leitura maravilhosa e que me fez pensar em como não damos valor para muitas das coisas que temos – ou como não aproveitamos cada momento da vida como se fosse o último. Leiam, vocês vão entender o que quero dizer.

Como Eu Era Antes de Você – Me Before You
Páginas: 320 Editora: Intrínseca Nota: ★★★★☆


Página 2 de 41234