[BEDA] Viagem pela Suíça: Zurique, Berna e Lucerna

Em 09.08.2017   Categoria: BEDA, Viagens

Chegamos em Zurique no dia 8 de julho, há um mês, nossa porta de entrada na Europa. O voo de São Paulo para Zurique foi direto e teve uma duração de mais ou menos 11 horas e meia. Depois de passarmos pela imigração (que foi super tranquila com os nossos passaportes portugueses – apesar da Suíça não fazer parte da União Europeia), compramos bilhetes para um bondinho nos levar até a estação central de trem e de lá buscamos a informação de como faríamos para chegar ao hotel.

viagem - suíça

Vou “pausar” a aventura aqui para fazer uma observação totalmente pessoal e que precisa ser dada logo de cara: apesar de sabermos que em nenhum outro lugar do mundo as pessoas recebem os turistas tão bem quanto no Brasil ou outro país da América Latina, é sempre um choque quando encontro pessoas que trabalham com serviço de informação e/ou vendas tratarem mal os clientes. Principalmente em uma cidade grande como Zurique que é a porta de entrada na Suíça para os estrangeiros. Principalmente 2 porque eu expliquei tudo que eu queria direitinho para o cara que nos vendeu os bilhetes e ele nos respondeu totalmente errado e de mau humor. Resumindo: pagamos muito mais por um serviço que poderia ter saído super barato, ele nos fez pegar trem errado e descer em estação errada e ficamos “camelando” no calor insuportável da Suíça por umas 3 horas com malas e cansados da viagem feita durante toda a noite.

estação trem errada - zurique

Contratempos a parte, chegamos no hotel (nos hospedamos no Florhof), tomamos um banho, descansamos um pouco e saímos para conhecer um pouco de Zurique, que começou a ficar menos quente lá pelas 7 da noite e até que deu para andar HAHA Paramos para jantar no Zeughauskeller e de cara já fomos no tradicional schnitzel (nada mais que uma carne à milanesa – o meu de frango, é claro) e batata rösti. Comida deliciosa, mas o que achei estranho foi termos que compartilhar a mesa com pessoas que nunca tínhamos visto na vida. Depois fui pesquisar e entendi que é um costume bem comum de restaurantes superlotados em que você não fez pré reserva eles compartilharem mesas entre os clientes para não deixar a fila de espera enorme.

schnitzel e rösti

Após o jantar, demos uma volta pela cidade para apreciar um pouco a vista. Passamos pelo centrinho e por algumas pontes que cruzam o rio Limmat.

centro de Zurique

Zurique, Suíça

Enfim, chegamos à praça Sechseläutenplatz, em que fica a casa de ópera Opernhaus Zürich. Como ainda estava claro (no verão escurece mais ou menos às 10 da noite) muito calor e tinha wifi público bom, pegamos um sorvete e ficamos sentados nas cadeiras que ficam espalhadas pela praça, apenas vendo o pessoal passar (europeu adora fazer isso, chega a ser engraçado haha).

Sechseläutenplatz - Zurique

Voltamos para o hotel e fiquei pesquisando o que fazer no dia seguinte. Chegamos à conclusão que visitaríamos a capital da Suíça, já que não era tão longe e daria para ir tranquilo de trem em um “bate-volta”. É aqui que você para e se pergunta: “Mas a capital da Suíça não é Zurique?”, pois então, não é não! É como se fosse no Brasil: não é porque a porta de entrada é São Paulo ou Rio de Janeiro que elas são as capitais, né? Mesma coisa lá! Zurique é o maior polo econômico do país, mas a capital fica um pouquinho a sudoeste e não tem cara nenhuma de capital.

continue lendo

MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Seleção de Livros! Clique e confira.