Categoria "Crônicas"

Sonhei com você na última noite

Crônicas • 13.10.2016  

Sonhei com você na última noite.

Você estava lendo meus livros do curso de inglês. As atividades que eu tinha feito enquanto ainda estudava, lá quando eu tinha de 12 a 16 anos. Até que reparou que em uma das respostas eu havia colocado seu nome. Era algo no sentido de “Quem você gostaria de ver agora?” E lá na resposta tinha seu nome e sobrenome. Não tinha nem como eu correr, fingindo que não era você. Lembro bem que fiquei até vermelha de vergonha no sonho.

– Ah, então você já conseguiu?
– É, acho que sim… Mas faz muito tempo isso! Que vergonha!

E aí você me abraçou. Foi logo depois disso que a gente se beijou. A primeira coisa que eu fiz quando a gente começou a se beijar foi subir minha mão pelo seu cabelo. Engraçado como o sonho demonstra bem nossos mais íntimos desejos, não é? Porque morro mesmo de vontade de passar a mão por seu cabelo.

Mas o mais engraçado nisso tudo é que quando formei no curso de inglês, lá em 2007, eu nem imaginava que em 2015 iria acabar te conhecendo. Jamais imaginaria que poderia me apaixonar assim por você e, com certeza, a nenhuma das minhas atividades eu respondi com o seu nome completo.

Mas vai tentar explicar um sonho… Vai tentar entender! O bom mesmo é o que acontece na hora que a gente acorda, quando consegue lembrar daquilo que sonhou e acaba sorrindo diversas vezes durante o dia, só por causa daquele sonho que teve na última noite.

Pois é… Sonhei com você na última noite e acordei sorrindo.


Carta Aberta ao Crush

Crônicas • 29.08.2016  

Querido crush;

Ainda me lembro de quando nos falamos pela primeira vez. Aquela conversa cheia de segundas intenções e completamente sem jeito… Havia aquela necessidade de passar uma boa primeira impressão, mas sei que foi tudo bem verdadeiro – pelo menos da minha parte.

carta aberta ao crush

Mas o que esperar de uma pessoa que a gente conhece num aplicativo desses de paquera, não é mesmo? E é incrível ver que realmente foi pra frente e que algo aconteceu depois daquela primeira conversa de forma rápida.

Quando saímos você me contou sobre ter olhado pro lado, cansado daquela semana puxada e pensado: “quer saber? Vou ver se ela quer sair pra beber.” E eu quis. Decidi que seria legal te conhecer melhor na companhia de uma cerveja gelada (foi Brahma?). A gente sempre conversa melhor e se conhece melhor depois que o álcool entra.

crush

Apesar de tudo, sabíamos que jamais daria certo, não é verdade? Existia uma distância próxima, um dia que ia chegar e a certeza de que seria apenas por um momento. E que momento! Por que você acha que te vejo como meu crush? Não é a toa, posso te garantir. Foi bom. Foi rápido, porém bom. Deu pra pensar em você durante alguns dias antes de dormir. Deu pra eu me pegar sorrindo como uma boba ao pensar em você em alguns momentos do meu dia. Super aleatória!

Vem, volta! Não demora.

Precisamos beber mais um pouquinho. Você ainda precisa me contar sobre toda sua experiência adquirida em outro canto do mundo. Ainda precisamos trocar mais algumas palavrinhas em inglês e gastar mais um tempinho em cima daquela sua cama dura, dormir agarradinho e passar vergonha um com o outro.

crush 2

Trocar palavras sobre coisas completamente idiotas, saber que temos mais em comum do que imaginamos, reclamar e rir do passado, conversar, dormir durante momentos inapropriados, trocar beijos e carinhos… Ainda preciso te falar mais vezes que você se parece com o Ryan Gosling.

Foi rápido, foi bom. Mas será que foi o suficiente?

Vem logo, volta logo. Fica um pouco mais. Me deixa te acordar no outro dia, me deixa ficar pro café. Não demora.

crush 3

Babi.


Sobre fins e recomeços

Crônicas • 20.06.2016  

O amor não acaba de uma hora pra outra. Ele não desaparece de um dia pro outro… Você não deixa de amar uma pessoa pelo simples fato de ela não ser mais parte do seu dia a dia. Amores vêm, amores vão. Cabe apenas a nós sabermos tirar o melhor de cada uma dessas situações, de cada um desses amores.

recomeços

O que dizer sobre o fim que não pode mais ser adiado? O que dizer sobre isso quando o mais fácil seria deixar tudo de lado e dizer mais uma vez: “ei, vamos tentar de novo?” Tentar de novo não adianta. Principalmente depois de ter tentado tantas e tantas vezes. Desgaste. É quando o desgaste bate que as pessoas percebem que aquilo simplesmente não era pra ser. Ou simplesmente aconteceu no momento errado.

Uma pessoa certa. Será mesmo que só somos compatíveis com um alguém? Neste mundo inteiro nós só vamos combinar 100% com uma pessoa? Será que isso é apenas questão de ser quem você é ou o momento e as circunstâncias também merecem atenção? Ou será que é mais fácil pensar assim apenas por… ser mais fácil?

Será impossível recomeçar depois de algo que acabou? Uma pessoa me disse que às vezes algo precisa acabar para outra melhor acontecer… Será que eu serei a Robin deste Ted? Ou será que serei apenas mais uma… Zoey? Será que eu fui o algo bom e será que o algo melhor ainda está por vir para ele? Será que o meu melhor também está por vir?

Terminar algo é difícil, dolorido, feio… Terminar algo de quase três anos é tudo isso multiplicado por 3. Às vezes sinto que o choro não vai embora, que o aperto no peito não vai passar e que daqui a pouco eu vou pegar o celular e dizer que eu fui uma idiota e que eu preciso dele de volta porque a vida estava muito fácil com ele e agora… Agora está tudo complicado demais.

Como posso recomeçar? Como posso ir atrás de outras coisas agora? Como posso esquecer de tudo aquilo que aconteceu comigo (conosco) durante os últimos 3 anos? Não era fácil quando não tinha completado nem mesmo 24 horas. Mas um dia talvez passe… Um dia eu talvez recomece. Na verdade já passou, eu já recomecei várias vezes e continuo recomeçando dia após dia, hoje bem mais feliz e bem mais certa de que o recomeço não foi algo apenas maravilhoso, mas algo extremamente necessário.


Página 1 de 512345