Resenha: Uma Prova de Amor – Emily Giffin

Resenhas • 10.09.2015  

Uma-Prova-de-AmorO que eu gosto nos livros da Emily Giffin é a forma que ela tem de retratar seus personagens. Ela usa problemas reais e coloca pessoas reais: com qualidades, defeitos, que erram e acertam, que pedem desculpas, se emocionam, batem o pé, correm atrás daquilo que querem. Uma Prova de Amor foi apenas o segundo livro que li dela, mas é fácil perceber que essas características estão presentes sempre em suas histórias.

Em Uma Prova de Amor, conhecemos Claudia e Ben, um casal que não queria ter filhos. Eles se casaram com essa ideia e viveram por muito tempo com isso na cabeça, mas a partir de um momento, em que um casal amigo deles que tinham a mesma coisa em mente engravida, Ben muda de ideia e passa a pressionar Claudia para que eles tenham um filho.

Ela não quer. Claudia trabalha com o que sempre quis trabalhar, tem uma vida boa como editora de livros e pensa apenas em crescer profissionalmente. Toda vez que Ben aparece com uma solução para que eles tenham um filho e ela continue a trabalhar e a fazer sucesso, ela responde com argumentos que antes pareciam fortes, mas que agora não soam tão bem assim.

O casamento, portanto, começa a desmoronar e eles chegam a algo que não queriam: divórcio. Cada um passa a viver sua vida, então. Acompanhamos toda a história pela visão da Claudia. Ben aparece apenas quando Claudia o procura por algum motivo. O livro todo acontece durante esse período de separação, então vemos Claudia feliz, brava, triste, nervosa, inquieta… É interessante ver como o humor dela e as ideias dela vão mudando ou ficando mais fortes ao longo do livro.

Não existe garantia em relacionamentos. Você não pode acreditar que algo não vai mudar. Você não pode esperar nada a não ser o inesperado. Você só vai arrumar encrenca se acreditar que é exceção à regra.

Por fim, preciso dizer que adorei. A história é linda e emocionante, de certa forma. O conflito de ideias estava sempre ali. Claudia optando por não ser mãe, Ben querendo ser pai, mas ao mesmo tempo que queria um filho apenas se fosse com ela, as irmãs de Claudia, cada um com seus problemas, sempre levando-a a pensar que o divórcio dela não é nada comparado àquilo tudo.

É um ótimo livro, porém não recomendo a todas as pessoas, já que a escrita da Emily é, como comentei já no início do post, bem única. Personagens reais e problemas reais tendem a não agradar todo tipo de leitor, mas com certeza me agradou. Portanto, se você gosta de livros com histórias deste tipo, vá em frente e leia. Tenho certeza que Emily te deixará apaixonado.

Uma Prova de Amor – Baby Proof
Páginas: 432 Editora: Novo Conceito Nota: ★★★★★


Resenha: Questões do Coração – Emily Giffin

Resenhas • 10.04.2012  

Questões do Coração – Heart of the Matter
Autora: Emily Giffin
Editora: Novo Conceito
Páginas: 438
Nota: ★★★★★

Sinopse: Tessa Russo é mãe de duas crianças e esposa de um renomado cirurgião pediatra. Apesar dos avisos de sua mãe, Tessa recentemente abriu mão de sua carreira pra se focar na família e na busca da felicidade doméstica. Ela parece destinada a viver uma boa vida. Valerie Anderson é advogada e mãe solteira de Charlie que tem apenas 6 anos e nunca conheceu o pai. Depois de muitas decepções, ela desistiu do amor – e até mesmo das amizades – acreditando que é sempre mais seguro não ter muitas expectativas. Embora as duas mulheres vivam no mesmo subúrbio de Boston, elas tem muito pouco em comum além do amor pelos filhos. Mas numa noite, um trágico acidente faz suas vidas se encontrarem de um jeito inesperado. Em uma história alternativa e com vários pontos de vista, Emily Giffin nos emociona com um livro luminoso em que boas pessoas são pegas em circustâncias insustentáveis. Cada um sendo testado de maneiras que nunca pensaram ser possível. E cada um deles descobrindo o que realmente importa.

 

Acho que eu fiquei mais de meia hora olhando pra essa página tentando pensar em como começar (e terminar) essa resenha. Queria contar toda a história aqui, porque só assim pra tentar passar pra vocês o que eu senti enquanto lia esse livro incrível, mas vou tentar me conter, porque muito dele é surpresa.

CONTINUE LENDO »