Resenha: O Presente – Cecelia Ahern

Resenhas • 07.01.2014  

O Presente –The Gift
Autoras: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Páginas: 320
Nota: ★★★★☆

Sinopse: Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte e, quando está em casa com a esposa e os filhos, sua cabeça está, invariavelmente, em outro lugar.
Numa manhã de inverno, Lou conhece Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha. Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça que usa Louboutins com o rapaz de sapatos pretos…
Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego. Mas logo o executivo se arrepende de ter ajudado Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber…

Quando começa a entender quem realmente Gabe é e o que ele faz em sua vida, Lou percebe que passará pela mais dura das provações.

CONTINUE LENDO »


Resenha: Seis Coisas Impossíveis – Fiona Wood

Resenhas • 31.12.2013  

Seis Coisas Impossíveis – Six Impossible Things
Autoras: Fiona Wood
Editora: Novo Conceito
Páginas: 272
Nota: ★★★★☆

Sinopse: Dan Cereill levou um encontrão da vida: seu pai faliu, assumiu que é gay e separou-se de sua mãe, tudo de uma vez só. Enquanto isso, sua mãe recebeu de herança uma casa tombada pelo patrimônio histórico que cheira a xixi de cachorro, mas que não pode ser reformada… E, agora, Dan está vivendo em uma casa-relíquia que parece um chiqueiro, com uma mãe supertriste e sem conseguir falar com o pai — que ele ama muito. Suas únicas distrações são sua vizinha perfeita, Estelle, e uma lista de coisas impossíveis de fazer, como:

1. Beijar a garota; 2. Arrumar um emprego; 3. Dar uma animada na mãe; 4. Tentar não ser um nerd completo; 5. Falar com o pai quando ele liga; 6. Descobrir como ser bom e não sair abandonando os outros por aí…

Mas impossível mesmo será:
1. Não torcer para que Dan supere seus problemas; 2. Não rir muito com os devaneios dele; 3. Não querer ter um cachorrinho como Howard; 4. Não desejar que a mãe de Dan encontre a felicidade; 5. Parar de ler este livro; 6. Não querer abraçar o livro depois de tê-lo terminado…

Em “Seis Coisas Impossíveis”, conhecemos Dan Cereill (Cereill = surreal, não “cereal”), um menino de quase 15 anos que vê sua vida mudar drasticamente após seu pai falir, assumir que é gay e sair de casa. Ele então tem que morar com a mãe em uma casa que pertence ao patrimônio histórico da cidade e, portanto, não pode ser reformada. Além do cheiro de xixi, a casa veio com um brinde: Howard, o velho cachorro de Adelaide, antiga dona da casa.

Para tentar pagar todas as dívidas e colocar algo a mais na mesa do jantar, a mãe de Dan começa um negócio de bolos de casamento, enquanto ele procura algum emprego de meio período para poder ajudar também. Mas os problemas de Dan vão além da falta do dinheiro: ele está em uma escola nova sem conhecer ninguém, é apaixonado pela vizinha/colega de classe, Estelle, e está sempre fazendo listas de coisas impossíveis, coisas que ele tem que mudar e outras listas aleatórias: mania que pegou do pai. Ah, o pai, que liga todos os dias e Dan não quer nem saber. Ele os abandonou, então não tem porquê ficar procurando pelo filho.

Acompanhamos as indecisões e decisões de Dan durante a adaptação da sua nova vida, como ele faz para contornar as zoações da escola, como ele progride em relação ao medo/receio de falar com Estelle, como faz novos amigos e como consegue ajudar a sua mãe a recuperar pelo menos um pouco do que eles tinham antes de seu pai sair de casa.

A história não é das mais profundas, que vá te fazer ter uma grande conclusão e filosofar sobre, porém é uma comédia para realmente passar o tempo e se divertir com os devaneios de Dan e suas listas malucas. Fiona Wood tem um jeito muito delicioso de escrever e quando você menos percebe, já leu mais capítulos do que deveria antes de dormir. Acredito que se minha irmã lesse esse livro (já que ela tem 15 anos), aproveitaria mais do que eu, mas não posso falar que não gostei.

Um ótimo livro para acabar minha ressaca literária de 2013 e começar 2014 recuperando o atraso :)


Página 5 de 211 ...123456789... 21Próximo