Seriado: Grey’s Anatomy

TV • 15.10.2015  

Grey’s Anatomy é uma série de drama médico criada por Shonda Rhimes e que teve seu Piloto exibido em 27 de Março de 2005, chamando atenção de expectadores desde então.

greys-anatomy

A série mostra o dia a dia de Meredith Grey, Cristina Yang, Izzie Stevens e George O’Malley, que acabam de começar seu primeiro ano de Residência em Cirurgia no Hospital Escola Seattle Grace, que conta com o programa em cirurgia mais rígido de Harvard, em Seattle – Washington.

Além disso, eles são auxiliados pela Bailey, mais conhecida como Nazista – o que já dá a ideia que eles terão que enfrentar muitas dificuldades até se destacarem naquele meio tão competitivo.

Ok. A todos aqueles que dizem que vão deixar para dormir mais quando morrerem: venham falar comigo depois de uns meses como um interno. Claro, não é apenas o trabalho que faz a gente varar a noite. Quer dizer, se a vida já é tão difícil, por que a gente fica arranjando mais problemas pra gente? Que necessidade é essa de apertar o botão de auto-destruição?

Meredith Grey é a principal da historia e isso fica bem claro no primeiro episódio e por causa do nome que a série leva, porém, ao longo dos episódios e ao passar das temporadas, percebemos que todos eles ganham destaque de alguma forma em algum momento.

Shonda sabe como mostrar a vida de cada um deles de forma individual sem deixar o grupo todo de lado (mesmo que alguns atores tenham se estressado por causa disso em vários momentos, mas isso a gente pode deixar pra comentar em outro post).

Logo no primeiro episódio, Meredith dispensa um cara de sua casa pela manhã, apenas para descobrir, horas mais tarde, que ele é Derek Shepherd, chefe do departamento de neuro-cirurgia no Seattle Grace Hospital.

É por causa disso que percebemos que, mesmo com o intuito de mostrar o dia a dia de médicos residentes, Shonda não esconde seu lado romântico e dramático, dando sempre grande importância para todos os relacionamentos que, ao longo da série, vão surgindo na tela. Relacionamentos estes com os quais você pode ou não concordar e pelos quais você pode ou não torcer.

É impossível não se apegar aos personagens. Não há vilão, mesmo que alguns passem uma péssima imagem ao aparecerem pela primeira vez. Todos eles são humanos, têm sentimentos, acertam e erram em suas escolhas, passam por momentos bons e ruins e arrancam lágrimas, choros, suspiros, frios na barriga e até mesmo gargalhadas de quem assiste.

Eles dizem que a morte é mais difícil pros vivos. É difícil realmente dizer adeus, às vezes é impossível. Você nunca parar de sentir a perda é o que torna as coisas tão amargas. Deixamos pequenos pedaços de nós mesmos para trás. Pequenos lembretes. Uma vida inteira de lembranças, fotos, bijuterias. Coisas para lembrar a gente, mesmo quando não estamos mais lá.

Eu passei por todos esses sentimentos em pouco tempo, ao lado de minha irmã, que foi quem insistiu para que começássemos a assistir essa série – valeu, Bella!

Gostei tanto da série que em 2 meses assisti às 10 temporadas: episódio atrás de episódio ininterruptamente (é, foi quase isso – sem parar mesmo), e teria voltado a assistir desde o início para esperar a décima primeira se eu não estivesse com a vida tão corrida na época em que terminei tudo.

Grey’s Anatomy se tornou uma de minhas séries preferidas: como eu já falei, os personagens são humanos, o que deixa a série com muita cara de real. Shonda não tem pena alguma ao ter que matar alguém, portanto isso nos deixa sofrendo em muitos momentos, principalmente quando nos apegamos a alguém que vai morrer ou sair da série por algum motivo.

Se você procura um drama pra assistir e se tem tempo de sobra pra se apegar a um seriado, pode começar, agora mesmo, a assistir Grey’s Anatomy. Garanto que não tem como se arrepender.